Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Escolhas & Percursos

...espaço de discussão, de formação, de cultura, de curiosidades, de interacção. Poderemos estar mais próximos. Deus seja a nossa Esperança e a nossa Alegria...

Escolhas & Percursos

...espaço de discussão, de formação, de cultura, de curiosidades, de interacção. Poderemos estar mais próximos. Deus seja a nossa Esperança e a nossa Alegria...

25.06.12

Auroras boreais - espetacularidade!!!

mpgpadre
       Vídeo sobre as auroras boreais, com a recolha de imagens durante 3 anos. O autor é Chad Blakley...

       "O fenómeno da aurora boreal acontece quando partículas que vêm do sol (vento solar) interagem com o campo magnético da Terra, provocando a emissão de luz. Próximo do polo norte o fenómeno é conhecido por autora boreal. Próximo do polo sul aurora austral".

  

12.07.10

O que é de todos, também é dos outros!

mpgpadre
       Há determinados bens – materiais, sociais e culturais – que são de todos. À primeira vista não são de ninguém em concreto, logo pertencem a todos: os bens do Estado, bens públicos, os bens da Igreja, os bens de uma qualquer associação, grupo ou sociedade, os bens de uma autarquia ou Junta de Freguesia, os baldios.
O mundo – o céu, a terra, a água, a chuva, as estrelas, o sol – não é propriedade privada ou individual. Poderíamos a este propósito dizer que quando faz sol ou quando chove é para todos. Por vezes nem é.
       Poderemos cair na tentação fácil de usar e abusar daquilo que entendemos ser de toda a gente. Num plano global, a exploração dos recursos da terra por parte de algumas potências mundiais, países ou organizações, levada ao excesso, deixa hipotecado o futuro daqueles que virão depois de nós e de uma grande maioria de povos.
       Naquilo que a nós nos diz respeito, mais de perto, poderemos por vezes descambar para uma forma rebuscada de comunismo – no que ele tem de perverso –, o que é de todos só beneficia uns poucos, ou se é de todos posso fazer o que me dá na real gana, mesmo destruir, sem que ninguém me possa julgar ou sequer chamar à atenção.
       Quando olhamos para o Estado – fonte de todos os males? – verifica-se uma progressiva subsidiodependência (por vezes os subsídios são a única forma de equilibrar), e uma progressiva relutância em pagar os impostos que nos cabem; queremos receber, mas não queremos contribuir, salvo as situações de injustiça declarada.
       No meio ambiente, como é de todos, deitamos papéis para o chão, beatas, lenços de papel, pastilhas elásticas, cuspimos… alguém há-de limpar! O que é de todos, entenda-se, é para benefício de todos, correcto, mas não para que cada um possa estragar. De todos para cuidar, para preservar, ou a alternativa, de todos para destruir, já que não é de ninguém?
       O que é de todos também tem governo, como na casa de Deus. Não para cada um a seu bel-prazer fazer o que mais lhe convém, mas para que cada um de nós cuide daquilo que é de todos e para todos, com alegria e generosidade.
       Na hora de reivindicar e de exigir, o argumento mais válido é que o que é de todos a todos pertence. Quando está mal, danificado ou é insuficiente, então a culpa é dos que gerem.
       Importa, como crentes, apostar na ecologia, nesta casa comum da humanidade que é o mundo, cuidando, protegendo, amando, e não esperar que outros resolvam o que eu posso resolver e que está ao meu alcance e me compete. Se eu cuido, eu testemunho, e subsequentemente posso exigir que outros também cuidem…

editorial Voz Jovem, n.º 77, Junho 2006

27.04.10

A alegria da criação...

mpgpadre

       No sétimo dia, terminada a criação, Deus declarou que era a sua festa. Todas as criaturas, novas em folha, quiseram oferecer a Deus a coisa mais bela que pudessem encontrar.

       Os esquilos trouxeram avelãs, os coelhos cenouras e raízes doces. As ovelhas, lã. As vacas, leite rico de nata. Milhares de anjos colocaram-se em círculo, cantado uma melodia celestial. 

       O homem esperava pela sua vez e estava preocupado: «Que poderei eu dar?» As flores têm o perfume, as abelhas o mel, até os elefantes podem dar um duche a Deus para o refrescar...

       O homem tinha-se colocado no fim da fila e continuava a pensar. Todas as criaturas desfilavam diante de Deus e ofereciam os seus presentes.

       Quando ficaram apenas algumas criaturas, o homem ficou em pânico.

       Chegou a sua vez. Então o homem fez o que nenhum animal ousara fazer. Correu para Deus, saltou para o seu colo, abraçou-o e disse-lhe:

       - Amo-te!

       O rosto de Deus iluminou-se. Toda a criação compreendeu que o homem tinha oferecido a Deus o dom mais belo e entoou um aleluia cósmico.

autor desconhecido

10.02.10

O defeito da mulher

mpgpadre

Quando Deus fez a mulher, já estava a trabalhar há seis dias consecutivos.

Apareceu um anjo que lhe perguntou:

- Deus, porque estás a perder tanto tempo com esta criação?

Ao que Deus respondeu:

- Já viste a minha lista de especificações para este projecto? Ela tem que ser completamente lavável, mas sem ser de plástico, tem mais de 200 partes móveis, todas substituíveis, e é capaz de sobreviver à base de coca-cola light e restos de comida, tem um colo capaz de segurar em quatro crianças ao mesmo tempo, tem um beijo capaz de curar qualquer coisa desde um arranhão no joelho a um coração ferido e faz isto tudo apenas com duas mãos.

O anjo ficou estupefacto com estas especificações.

- Só duas mãos!? Impossível! E esse é apenas o modelo normal? É muito trabalho só para um dia. É melhor acabares só amanhã.

- Nem pensar, protestou Deus.

- Estou quase a acabar esta criação que me é tão querida. Ela já é capaz de se curar a si própria quando fica doente e consegue trabalhar 18 horas por dia.

O anjo aproximou-se e tocou na mulher.

- Mas fizeste-a tão macia e delicada, meu Deus.

- Sim, mas também pode ser muito resistente. Nem fazes ideia o que ela pode fazer e aguentar.

- E ela vai ser capaz de pensar? perguntou o anjo.

- Não só é capaz de pensar como é capaz de negociar e convencer.

O anjo então reparou num pormenor e tocou na cara da mulher.

- Ups, parece que tens uma fuga neste modelo. Eu disse-te que estavas a tentar fazer demais numa criatura só.

- Isso não é uma fuga, é uma lágrima.

- E para que é que isso serve? perguntou o anjo.

- A lágrima é o seu modo de exprimir alegria, pena, dor, desilusão, amor, solidão, luto e orgulho.

O anjo estava impressionado.

- És um génio, Deus. Pensaste em tudo.

 

E de facto as mulheres são verdadeiramente espantosas.

Têm capacidades que surpreendem os homens.

Carregam fardos e dificuldades, mas mantendo um clima de felicidade, amor e alegria.

Sorriem quando querem gritar.

Cantam quando querem chorar.

Choram quando estão felizes e riem quando estão nervosas.

Lutam por aquilo em que acreditam e não aguentam injustiças.

Não aceitam um 'não' quando acreditam que existe uma solução melhor.

Prescindem de tudo para dar à família.

Vão com um amigo assustado ao médico.

Amam incondicionalmente.

Choram quando os seus filhos são os melhores e aplaudem quando um amigo ganha um prémio.

Ficam radiantes quando nasce um bebé ou quando alguém se casa.

Ficam devastadas com a morte de alguém querido, mas mantêm a força além de todos os limites.

Sabem que um abraço e um beijo pode curar qualquer desgosto.

Existem mulheres de todos os formatos, tamanhos e cores.

Elas conduzem, voam, andam e correm ou mandam e-mails só para mostrar que se preocupam contigo.

O coração de uma mulher mantém este mundo a andar.

Elas trazem alegria, esperança e amor.

Dão apoio moral à sua família e amigos.

As mulheres têm coisas vitais a dizer e tudo para dar.

 

NO ENTANTO, EXISTE UM DEFEITO NAS MULHERES...

"É QUE ELAS SE ESQUECEM CONSTANTEMENTE DO SEU VALOR!"

 

Postado a partir do nosso blogue Caritas in Veritate.

24.01.10

Deus anda à beira da Água...

mpgpadre
       «A vida hoje afastou-nos da natureza: as paisagens urbanas, com as suas florestas de betão, encerram a vida entre paredes eficazes, super-cómodas, é certo, mas o ar que respiramos por alguma razão se chama “ar condicionado”.
       O que acredito é que precisamos de amplitude, de campos vastos a perder de vista, de viagens mais profundas que as da rotina. Precisamos perceber o silêncio das coisas, cúmplice do silêncio da nossa alma.
       Precisamos da liberdade leve dessas horas inapreensíveis que passamos junto ao mar.
       Há um poeta que diz: Deus anda à beira d’água”. Não me admiro nada. A imensidão, o nome límpido, a alegria azul do mar são lugares onde Deus deixou o Seu toque.
       Os caminhos marítimos para os outros continentes estão descobertos.
       Falta, talvez, (re)descobrir o caminho marítimo para o porto secreto de cada coração.
José Tolentino Mendonça, in Conhecer e Seguir Jesus.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Relógio

Pinheiros - Semana Santa

- 29 março / 1 de abril de 2013 -

Tabuaço - Semana Santa

- 24 a 31 de abril de 2013 -

Estrada de Jericó

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D

Velho - Mafalda Veiga

Festa de Santa Eufémia

Pinheiros, 16/17 de setembro de 2012

Primeira Comunhão 2013

Tabuaço, 2 de junho

Profissão de Fé 2013

Tabuaço, 19 de maio