Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Escolhas & Percursos

...espaço de discussão, de formação, de cultura, de curiosidades, de interacção. Poderemos estar mais próximos. Deus seja a nossa Esperança e a nossa Alegria...

Escolhas & Percursos

...espaço de discussão, de formação, de cultura, de curiosidades, de interacção. Poderemos estar mais próximos. Deus seja a nossa Esperança e a nossa Alegria...

06.03.11

Fundar a nossa vida sobre a rocha...

mpgpadre

   1 – "Nem todo aquele que Me diz ‘Senhor, Senhor’ entrará no reino dos Céus, mas só aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos Céus".

Estamos ainda à volta de Jesus no alto da montanha, como seus discípulos, neste tempo de dúvidas e incertezas, e eis que as Suas palavras ecoam nos nossos ouvidos e na nossa alma. Está quase a despedir-nos e a enviar-nos de volta ao mundo real e concreto. Antes, dá-nos os instrumentos para que possamos ser verdadeiramente Seus discípulos, lembrando-nos quão importante e essencial é a fé. Mas não uma fé qualquer, a fé em Deus que é Pai e nos criou por amor e nos chama à felicidade, nesta e na vida futura, em estreita ligação com os outros. Uma fé que nos liga à vida presente e que nos compromete com a sociedade actual, com o nosso semelhante, que tal como nós, tem as marcas de pertença a Deus e a quem devemos acolher, respeitar, amar, proteger, de quem devemos cuidar. Somos responsáveis uns pelos outros.

São inequívocas as palavras de Jesus, não basta que tenhamos boas intenções e que até tenhamos o nome de cristãos, é necessário que a identidade nos leve à prática do bem, das boas obras, isto é, ao cumprimento da vontade de Deus que quer que todos se salvem e tenham a vida em abundância.

 

2 – São Paulo, nesta missiva aos Romanos, parece dispensar as obras. À primeira vista, a fé sem mais é que nos salva: "não há distinção alguma, porque todos pecaram e estão privados da glória de Deus; e todos são justificados de maneira gratuita pela sua graça, em virtude da redenção realizada em Cristo Jesus, que Deus apresentou como vítima de propiciação, mediante a fé, pelo seu sangue, para manifestar a sua justiça. Na verdade, estamos convencidos de que o homem é justificado pela fé, sem as obras da Lei".

Mas desengane-se quem pense viver a fé sem uma vida em conformidade, comprometida com a Palavra de Deus e com o próximo, vivendo à semelhança de Jesus Cristo. A acentuação deve ser feita. Inevitavelmente. O próprio Jesus muitas vezes dirá: a tua fé te salvou! Sem dúvida, é na fé que nos encontramos com Deus. Sem fé seríamos como animais sem razão, apenas biológicos. Sem fé as nossas obras seriam vazias, sem significado, sem exigência moral ou social.

Porém, o Apóstolo evidencia a mediação de Jesus Cristo. Alguns defendiam que a vinda de Jesus era mais um instrumento de salvação. Quem cumprisse com as orientações da Lei de Moisés não precisava de cumprir com os ensinamentos de Jesus. É neste contexto que São Paulo diz claramente: Jesus é o único Mediador entre Deus e os homens, entre a humanidade e a Divindade. Todos temos de ser redimidos por Ele, pela Sua vida e sobretudo pela Sua morte e ressurreição. Ele morre por todos, judeus e gregos, escravos e livres, homens e mulheres.

Numa palavra, a salvação é dom gratuito de Deus, dádiva a favor de toda a humanidade, em Jesus Cristo. Por outro lado, não são as nossas obras que realizam a salvação, mas é a obra de Jesus Cristo. A cada um de nós cabe acolher a salvação por Ele operada.

 

3 – Mas poderemos acolher a salvação de Jesus Cristo, sem se operar em nós qualquer transformação? Poderemos ser salvos e continuarmos com as obras das trevas? Pode Deus salvar-nos sem a nossa cooperação, sem a nossa liberdade?

Santo Agostinho dá-nos uma resposta clara: Deus criou-nos sem nós, mas não nos salva sem nós. Bento XVI acentuava esta lógica, por ocasião do Natal, dizendo que Deus é tão benevolente e tão misericordioso que Se faz um de nós, que assume inteiramente a nossa pequenez, a nossa fragilidade. Ele quer a nossa salvação, coloca-Se do nosso lado. Mas não força, não obriga. Sujeita-Se a ser rejeitado. E Jesus é disso exemplo: não Se impõe, convida...

Hoje, no Evangelho, vemos novamente a proposta de Jesus, desafiando-nos a cumprir em tudo a vontade de Deus, para sublinhar que quem ouve as Suas palavras e as põe em prática é uma construção sólida que perdura até à vida eterna: "Todo aquele que ouve as minhas palavras e as põe em prática é como o homem prudente que edificou a sua casa sobre a rocha. Caiu a chuva, vieram as torrentes e sopraram os ventos contra aquela casa; mas ela não caiu, porque estava fundada sobre a rocha".

 

4 – Deus respeita absolutamente a nossa liberdade. Criou-nos livres. Podemos dizer-Lhe "não". Podemos viver sem Deus, como se Deus não existisse ou até negá-l'O com todas as nossas forças. Cabe-nos a nós escolher o caminho que a Ele nos conduz ou aquele que nos afasta cada vez mais d'Ele e dos outros.

Na primeira leitura evidencia-se a possibilidade de escolha: "Ponho hoje diante de vós a bênção e a maldição: a bênção, se obedecerdes aos mandamentos do Senhor vosso Deus, que hoje vos prescrevo; a maldição, se não obedecerdes aos mandamentos do Senhor vosso Deus, afastando-vos do caminho que hoje vos indico".

Moisés, comunicando as palavras de Deus a todo o povo, convida a acolhermos o mandamento do Senhor com o coração, para que as palavras não fiquem em letra morte mas nos orientem para a verdade, para a luz, para o bem, para a felicidade, conduzindo-nos à vida.
_____________________________
Textos para a Eucaristia (ano A): Deut 11, 18.26-28.32; Rom 3, 21-25a.28; Mt 7, 21-27.

 

Reflexão Dominical na página da Paróquia de Tabuaço.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Relógio

Pinheiros - Semana Santa

- 29 março / 1 de abril de 2013 -

Tabuaço - Semana Santa

- 24 a 31 de abril de 2013 -

Estrada de Jericó

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2011
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2010
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2009
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2008
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2007
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D

Velho - Mafalda Veiga

Festa de Santa Eufémia

Pinheiros, 16/17 de setembro de 2012

Primeira Comunhão 2013

Tabuaço, 2 de junho

Profissão de Fé 2013

Tabuaço, 19 de maio

Em destaque no SAPO Blogs
pub