Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Escolhas & Percursos

...espaço de discussão, de formação, de cultura, de curiosidades, de interacção. Poderemos estar mais próximos. Deus seja a nossa Esperança e a nossa Alegria...

Escolhas & Percursos

...espaço de discussão, de formação, de cultura, de curiosidades, de interacção. Poderemos estar mais próximos. Deus seja a nossa Esperança e a nossa Alegria...

23.01.11

O que vale para Jesus vale para nós..

mpgpadre

       1 – "O povo que andava nas trevas viu uma grande luz; para aqueles que habitavam nas sombras da morte uma luz se levantou. Multiplicastes a sua alegria, aumentastes o seu contentamento... Vós quebrastes, como no dia de Madiã, o jugo que pesava sobre o povo, o madeiro que ele tinha sobre os ombros e o bastão do opressor".

       O texto de Isaías, proclamado na primeira leitura é assumido no Evangelho de Mateus, que nos diz que "assim se cumpria o que o profeta Isaías anunciara". Jesus toma conhecimento que João Baptista foi preso. Deixa a Galileia, sai de Nazaré e vai habitar em Carfarnaum, cumprindo os desígnios proféticos.

       Como vimos nos domingos anteriores, o Baptismo de Jesus inaugura um tempo novo, a missão de João Baptista, como preparação, dá lugar ao acontecimento, o Reino de Deus no meio de nós, em Jesus Cristo, o Ungido do Senhor, o Messias de Deus.

       Os evangelistas mostram-nos esta passagem de testemunho, de João para Jesus, do Precursor para o Filho de Deus. Na expressividade de João evangelista, a indicação clara: Eis o Cordeiro de Deus... é Ele o Filho de Deus... Em Mateus, a informação da prisão do Baptista é mais um sinal impulsionador da hora de Jesus Cristo. Doravante deixará o seu retiro de Nazaré, a família mais estrita, humana, para fazer da Sua casa as diversas terras por onde passará a pregar o reino de Deus, na assimilação da família de Deus, formada por todos, a começar pelos excluídos da sociedade, da política e da religião.

 

       2 – O centro do Reino de Deus é Jesus Cristo. Aliás, para nós crentes cristãos, o Reino de Deus é o próprio Jesus Cristo. Com Ele, chega até nós o Reino de Deus, reino de verdade, de justiça e de amor. A pregação de Jesus centraliza a chegada do Reino de Deus, num convite permanente à conversão: "Desde então, Jesus começou a pregar: «Arrependei-vos, porque o reino de Deus está próximo»... ". Só desta forma é possível reconhecer a presença de Jesus Cristo no mundo, na palavra de Deus, na Sua Igreja, nos Sacramentos.

       O caminho do cristão é Jesus Cristo.

       Para chegar a Cristo, o cristão assumirá uma atitude de arrependimento e conversão permanentes. O orgulho e auto-suficiência afastam-nos dos outros e do Outro, que para nós, em Jesus Cristo, é o Totalmente Próximo.

       A humildade e a conversão conduzem-nos a Deus, abrem-nos as portas da eternidade, possibilitam o diálogo, a partilha e a comunhão com o nosso semelhante, na certeza que nesse encontro se dá o enriquecimento mútuo e o reconhecimento da presença de Deus. Cada irmão é rosto do Deus Altíssimo. Cada um de nós poderá testemunhar a alegria e esperança de Deus em nós.

       3 – No acolhimento à Mensagem de Jesus, tornar-nos-emos, levando a sério o que escutámos, mensageiros de Jesus Cristo, vivendo da Sua vida, procurando que actue em nós e através de nós. Somos por Ele chamados e enviados. Como reflectíamos nos domingos anteriores, o baptismo dá lugar ao chamamento, dá lugar à missão. O que vale para Jesus Cristo, vale para cada um de nós.

Assim, com a força do Espírito Santo, Jesus passará de uma a outra terra, pregando, anunciando a Boa Nova de que Deus nos ama. Entretanto, chama os Seus Apóstolos, os Seus discípulos, daquele e deste tempo, para que a Sua missão continue a frutificar através dos tempos, através das gerações.

       No Evangelho vemos como Jesus "convida" ao seguimento: "Disse-lhes Jesus: «Vinde e segui-Me e farei de vós pescadores de homens»..."

       No mar revolto, daquele e deste tempo, os discípulos de Jesus são pescadores de homens, serão ocasião de salvação, instrumentos ao serviço do Evangelho de Jesus. Com a palavra e com a vida, podem e devem, ou melhor, podemos e devemos, fazer com que a agitação das águas não leve, uns e outros, ao fundo do mar, pelo contrário, mesmo na agitação mais feroz, sejamos trampolim para que o nosso semelhante encontre em Jesus Cristo a terra firme que procura, por vezes, às apalpadelas.

 

       4 – A nossa missão não é individual. Cada um, dando o melhor de si, poderá contribuir para que a presença de Deus nas nossas vidas, no mundo actual, seja mais significativa. Mas como parte de um todo. Juntos, somos mais fortes, animámo-nos na caridade de Deus, fortalecemo-nos mutuamente na fé que recebemos, espelhamos mais facilmente a esperança que Deus nos dá em Jesus Cristo pelo Espírito Santo, que nos habita e que habita a Igreja.

       As palavras de São Paulo, na segunda leitura para hoje, são disso testemunho e desafio: "Rogo-vos, pelo nome de Nosso Senhor Jesus Cristo, que faleis todos a mesma linguagem e que não haja divisões entre vós, permanecendo bem unidos, no mesmo pensar e no mesmo agir" (segunda Leitura).

       Se fomos baptizados pelo mesmo Espírito, no mesmo Baptismo de Jesus, então também vivemos e anunciamos o mesmo Cristo, o mesmo Espírito de Amor.

       Num mundo dilacerado pela discórdia, presente também nas comunidades cristãs, a Igreja deverá assumir-se cada vez mais como rosto da Unidade de Deus, que em Três Pessoas, vive a plena comunhão de vida e de amor. A Igreja nasce da Trindade e desemboca na mesma Trindade.

Mais uma vez a urgência da conversão, não a esta ou àquela verdade, mas a conversão sincera a Jesus Cristo, morto e ressuscitado. A nossa comunhão em Cristo, une-nos a todos os que d'Ele se aproximam com fé.

 


Textos para a Eucaristia (ano A): Is 8,23-9,3; 1Cor 1,10-13.17; Mt 4,12-23

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Relógio

Pinheiros - Semana Santa

- 29 março / 1 de abril de 2013 -

Tabuaço - Semana Santa

- 24 a 31 de abril de 2013 -

Estrada de Jericó

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D

Velho - Mafalda Veiga

Festa de Santa Eufémia

Pinheiros, 16/17 de setembro de 2012

Primeira Comunhão 2013

Tabuaço, 2 de junho

Profissão de Fé 2013

Tabuaço, 19 de maio