Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Escolhas & Percursos

...espaço de discussão, de formação, de cultura, de curiosidades, de interacção. Poderemos estar mais próximos. Deus seja a nossa Esperança e a nossa Alegria...

Escolhas & Percursos

...espaço de discussão, de formação, de cultura, de curiosidades, de interacção. Poderemos estar mais próximos. Deus seja a nossa Esperança e a nossa Alegria...

29.06.12

PINHEIROS - Festa de finalistas no Jardim Infantil 2011/2012

mpgpadre

       Solenidade do martírio dos Apóstolos São Pedro e São Paulo, enriquecida com a festa de ação de graças dos FINALISTAS do Jardim Infantil de Pinheiros (inclui o lugar de Carrazedo, única paróquia do Arciprestado de Tabuaço que não é freguesia). A Festa teve o condão de contar com a beleza, o encanto e a simplicidade dos quatro finalistas e de outras crianças e adolescentes.

       Oportunidade de abertura à comunidade e à dimensão espiritual da vida, em lógica de solidariedade intergeracional, tão necessário no mundo e no tempo atuais.

       Ficam algumas imagens, outras poderão ver vistas no perfil das Paróquias de PINHEIROS e de CARRAZEDO no facebook.

26.06.12

Festa do Município de Tabuaço - São João Batista - 24 de junho

mpgpadre

       Como muitos municípios (por exemplo São João da Pesqueira, Sernancelhe,...), também Tabuaço tem como Padroeiro São João Batista, oportunidade para atrair muitas pessoas à Vila e ao Concelho. No que à dimensão religiosa diz respeito, o DIA da solenidade do Nascimento de São João Batista, a celebração solene da Eucaristia, com pregação, a cargo do reverendo Pe. António Giroto, Pároco em Leomil, Sever e Alvite, no Arciprestado de Moimenta da Beira (com o Pe. Bráulio), e com a presença do Pe. Luís António, pároco de Sendim, de Paradela e da Granjinha, e a majestosa procissão com os santos padroeiros das paróquias do Arciprestado (excluindo Carrazedo, única paróquia que não freguesia).

        Durante a pregação o ilustre Pregador, partindo da primeira leitura, do profeta Isaías falou no cansaço que humanamente se pode sentir no trabalho profético/pastoral. Será um trabalho fastidioso, cansativo, em vão, se tiver em vista apenas o sucesso imediato, o sucesso humano. Por vezes não se vê o fruto. Contudo, em Isaías, como em São João, o cansaço físico é superável com o compromisso da missão em prosseguir a verdade e o bem, promovendo a justiça, procurando fazer a vontade de Deus. E quando Deus está no centro o sucesso surgirá, sem dúvidas.

       Outras das acentuações, bem visível, o facto de o nome de JOÃO apontar para o futuro. Os familiares querem, como tradicional no filho primogénito, siga com o mesmo nome do Pai, Zacarias. Mas Zacarias e Isabel decidem um nome que assume futuro. É certo que a nossa vida é também fruto da história, mas somos chamados a viver hoje, para diante, no futuro que é Deus.

       Um dado claro em Zacarias é a mudez do anúncio que vai ser pai até ao dia de dar o nome ao seu filho... às vezes também deveríamos ser mudos, pelo menos quando estamos a dizer mal dos outros, e falar quando temos algo de bem e de bom para dizer. Zacarias ultrapassa a mudez para louvar a Deus, do silêncio às palavras, para que estas sejam proveitosas...

       A ALEGRIA é uma dimensão também importante da vida de João Batista, ainda no seio materno já ele rejubila pela proximidade de Jesus Cristo. Perto de Jesus Cristo, de Deus, também os cristãos hão de ser alegres, firmes na esperança que vem de Deus.

       Como João Batista, também os cristãos devem orientar a sua vida por três paradigmas/ddimensões:

  • martirial
  • integradora
  • superadora.
  • Martirial. São João dá testemunho com o próprio sangue, dando a sua vida. É mártir. Nós podemos não ter necessidade testemunhar Jesus Cristo com o sangue, mas podemos e devemos testemunhá-lo com a nossa vida, com suor, trabalho, dedicação.
  • Integradora. Importa, como cristãos, estar com todos, procurar que tudo façam parte do Corpo de Cristo, que é a Igreja. Ir até aos átrios da Igreja anunciar Jesus Cristo, levar o Evangelho, tornando acessível a todos a palavras de Deus, mas sem impor, respeitando a opção dos outros. Ainda que os outros não acolham, não cessemos de dar testemunho. São livres para entrar ou não. Ao cristão cabe sempre ser testemunha de Jesus, como o foi João a apontar para o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo.
  • Superadora. Os cristãos têm de ser as melhores pessoas. Não se trata de descriminação ou de juízos de valor. Mas se se tem Deus, e se tem consciência que tem Deus dentro de si, então só podem ser as melhores pessoas. Dar Deus aos outros. Dar o melhor. Dizer bem. Fazer bem, e que começa em casa, na família, nos que estão perto... às vezes somos menos delicados e tolerantes para os que estão mais perto e com quem deveríamos amar, proteger, respeitar...

 

»» Poderá visualizar outras imagens no nosso perfil de facebook: AQUI

25.06.12

Auroras boreais - espetacularidade!!!

mpgpadre
       Vídeo sobre as auroras boreais, com a recolha de imagens durante 3 anos. O autor é Chad Blakley...

       "O fenómeno da aurora boreal acontece quando partículas que vêm do sol (vento solar) interagem com o campo magnético da Terra, provocando a emissão de luz. Próximo do polo norte o fenómeno é conhecido por autora boreal. Próximo do polo sul aurora austral".

  

24.06.12

E foi habitar no deserto até ao dia em que se manifestou a Israel

mpgpadre

       1 – "Entre os nascidos de mulher, não apareceu ninguém maior do que João Baptista; e, no entanto, o mais pequeno no Reino do Céu é maior do que ele" (Mt 11, 11). O testemunho dado por Jesus acerca de seu primo João é por demais luminoso. Jesus reconhece e sanciona a vida e a missão de João Batista, apontando-o como referência. Por outro lado, um desafio incontornável: cada um de nós poderá superar o Precursor. Ele vem e está antes de Jesus. Nós somos batizados num batismo de fogo, na água e no Espírito Santo, configurados ao próprio Corpo de Cristo que é a Igreja.

       Fixemo-nos por ora em João Batista, a cujo nome se fixa a missão. Ele é o Batista. Não é a luz, mas vem guiar para a luz, vem "amaciar" o caminho, mergulhando-nos no arrependimento e na disponibilidade para nos convertermos de todo o coração.

 

       2 – São João Batista é primo de Jesus e nasce cerca de seis meses antes. O seu nascimento dá-se envolto em mistério. É uma esperança para Israel e para a humanidade inteira. Os seus pais, Isabel e Zacarias, eram já de idade avançada. Mas por graça e benevolência de Deus, geraram na velhice. É gerado para além da idade biológica. Os seus pais já passaram a idade fértil. Ou talvez não! Há sempre tempo para nos tornarmos férteis e gerarmos a vida em abundância que nos vem de Deus. 

       Para lá do tempo, anuncia-se um tempo novo, de graça e salvação, de conversão. O seu nascimento é sinal de que se aproximam os novos céus e nova terra. A promessa de Deus começa a cumprir-se. Como em límpida madrugada, em que já se insinua a claridade de um sol radiante, assim o Precursor nos coloca em espera próxima do Messias de Deus.

       João é abençoado desde o seio materno. A ele se adequam as palavras do profeta Isaías:

"O Senhor chamou-me desde o ventre materno, disse o meu nome desde o seio de minha mãe. Fez da minha boca uma espada afiada, abrigou-me à sombra da sua mão. Tornou-me semelhante a uma seta aguçada, guardou-me na sua aljava" (primeira leitura).

       Tal como de Jesus, pouco mais se sabe da vida de João Baptista até à idade adulta. São Lucas refere que o menino crescia em robustez, e que se manteve no deserto até ao dia da sua apresentação a Israel:

"A mão do Senhor estava com ele. O menino ia crescendo e o seu espírito fortalecia-se. E foi habitar no deserto até ao dia em que se manifestou a Israel".

 

       3 – As referências à sua missão e ao seu caráter estão amplamente relatadas nos evangelhos e em outros escritos do Novo Testamento. É descrito como um homem rígido, frontal, destemido, coerente, usando uma linguagem ríspida, apocalíptica, ameaçadora, como uma espada bem afiada que corta tudo onde toca.

       Usava trajes simples e pobres, alimentava-se frugalmente, dedicava-se à pregação e ao batismo de penitência. Alguns julgaram-no o Messias esperado, mas a todos foi respondendo que estava para chegar Alguém maior: "Prestes a terminar a sua carreira, João dizia: «Eu não sou quem julgais; mas depois de mim, vai chegar Alguém, a quem eu não sou digno de desatar as sandálias dos seus pés»" (segunda leitura). Desta forma, afirma-se pela humildade e pelo despojamento. Poderia canalizar o sucesso que granjeou em seu benefício pessoal. Mas não o faz. Aponta para diante. Para Outro.

       Vai para as margens, para fora da tenda de Israel, para o deserto e a partir daí retoma a caminhada para a terra prometida, a partir do exterior, vislumbrando a Promessa que se vai cumprir no Messias. Obriga as populações a saírem do seu espaço de conforto. As suas palavras desinstalam, provocam, dividem, geram conflito ou pelo menos incómodo. Não contemporiza. Não se lhe augura nada de bom!

       Denuncia injustiças, nomeadamente daqueles que estavam no poder. Herodes manda prendê-lo, mas João não deixa de o criticar. Herodes vivia com a mulher do seu irmão Filipe, Herodíades. Esta pedirá a cabeça de João. E assim ele morrerá decapitado. A persistência na denúncia custa-lhe a vida.

 

       4 – Há ainda outras facetas na vida de João Batista. Salientaríamos a ALEGRIA que leva ao testemunho. Um homem que se torna demasiado sério e virulento, mas cuja fonte é Jesus Cristo e a verdade. Já no seio materno, o Precursor transparece ALEGRIA no encontro com Jesus. "Pois, logo que chegou aos meus ouvidos a tua saudação, o menino saltou de alegria no meu seio" (Lc 1, 44).

       É Isabel, sua mãe, que expressa o júbilo daquele primeiro encontro, intrauterino, como que a dizer que mesmo no seio materno Jesus e João fazem acontecer o mistério de Deus no mundo. Ventres abençoados pelo Amor de Deus que neles opera e realiza maravilha em favor de todo o povo. 

       Um dia será o próprio João Batista a dar testemunho de Jesus num encontro carregado de simbolismo e iluminado com a presença amorosa de Deus, pelo mesmo Espírito de Amor:

«Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo! É Aquele de quem eu disse: ‘Depois de mim vem um homem que me passou à frente, porque existia antes de mim.’… Vi o Espírito que descia do céu como uma pomba e permanecia sobre Ele… Pois bem: eu vi e dou testemunho de que este é o Filho de Deus» (Jo 1, 19-34).

       Destarte, a passagem de testemunho, a missão de João Batista logo dará lugar à missão de Jesus Cristo.

 

       5 – O nascimento é uma promessa que transborda de alegria e de esperança. João Batista cumpre a sua vida e coroa-a como oblação. Jesus, por sua vez, na prossecução da vontade de Deus Pai, leva a Sua vida, como oferta, até ao fim. O nascimento abre-nos um mundo de possibilidades. Poderemos inserir-nos no Reino de Deus, para nos tornamos grandes aos olhos de Deus Pai, uma vez que já o somos pelo batismo, cabe-nos “gastar” a vida em lógica de oblação, de entrega, semeando a verdade e o bem, alimentando-nos do Espírito de Deus e produzindo n’Ele frutos de santidade, pela caridade e pelo compromisso com as pessoas que Ele colocou para caminharem connosco.

 


Textos para a Eucaristia: Is 49,1-6; Atos 13,22-26; Lc 1,57-66.80. 

 

Reflexão Dominical na página da Paróquia de Tabuaço

22.06.12

Boletim Paroquial Voz Jovem - junho 2012

mpgpadre

       Os meses de maio e de junho são férteis de atividades pastorais, mormente no que à catequese diz respeito. Este número do boletim paroquial VOZ JOVEM é dedicado por inteiro à Catequese Paroquial, cujo encerramento foi no passado dia 16 deste mês. Fotos de todos os grupos de catequese, com destaque para a Festa da Promeira Comunhão (Sacramento da Eucaristia) e para a Festa da Profissão de Fé, que ocupam as páginas centrais do boletim.

       Em formato digital, uma apresentação mais colorida.

O Boletim poderá ser lido a partir da página da paróquia de Tabuaço, ou fazendo o download:

19.06.12

Encerramento da Catequese Paroquial (2)

mpgpadre

       Sábado, 16 de junho de 2012: encerramento da catequese da paróquia de Nossa Senhora da Conceição, de Tabuaço, com um momento de convívio, no Centro Paroquial, e com a celebração da Eucaristia, que incluiu o batismo da Mariana e um ofertório solene englobando cada ano de catequese, com alusão a festa de catequese proposta nos diversos anos. A música de fundo é uma proposta para o 8.º ano de catequese: Deus precisa de ti, interpretada por João Pedro Neves.

 

»» Para as fotos do ENCERRAMENTO DA CATEQUESE 2012,

visite o perfil da paróquia de Tabuaço no facebooK.

18.06.12

Encerramento da catequese paroquial - 2011/2012

mpgpadre

       15 de junho de 2012, encerramento da Catequese Paroquial de Tabuaço, com um momento descontraído de convívio e lanche, e celebração da Eucaristia, com a apresentação do simbolismo de cada ano de catequese, no ofertório, e a inclusão de um batizado, o da Mariana (Pais: Pedro Nuno e Maria do Carmo)...

(1.º ano - ACOLHIMENTO)

(2.º ano - PAI-NOSSO)

(3.º ano - Primeira Comunhão)

(4.º ano - Festa da Palavra = BÍBLIA)

(5.º ano - CREDO)

(6.º ano - PROFISSÃO DE FÉ)

(7.º ano - BEM-AVENTURANÇAS)

(8.º ano - FESTA DA VIDA)

(9.º ano - COMPROMISSO)

(10.º ano - ENVIO)

»» Para ver mais fotos do ENCERRAMENTO DA CATEQUESE 2012,

visite o perfil da paróquia de Tabuaço no facebooK.

17.06.12

Nós estamos sempre cheios de confiança...

mpgpadre

       1 – Como o ar que respiramos e que nos permite viver, sem cheiro nem cor, nem intensidade, sem o podermos tocar, ou prender, sem o conseguirmos ver ou dispensar, assim Deus na nossa vida, no mundo, no universo inteiro.

       Quantas vezes experimentamos a fragilidade da nossa condição humana, na doença, na incompreensão daqueles que nos rodeiam e em quem confiamos, pela morte de alguém que nos era demasiado próximo, por situações em que a natureza nos abandona e se revolta, pela incapacidade de resolver os problemas com que nos deparamos, pelo sofrimento de tantas pessoas inocentes.

       No evangelho que hoje nos é proposto são-nos apresentadas duas parábolas sobre o reino de Deus, comparável, segundo Jesus Cristo, a uma semente lançada à terra e que cresce dia e noite, silenciosamente, sem se dar por isso, ou a um grão de mostarda que sendo a menor das sementes se converte em frondosa árvore.

Disse Jesus à multidão: «O reino de Deus é como um homem que lançou a semente à terra. Dorme e levanta-se, noite e dia, enquanto a semente germina e cresce, sem ele saber como. A terra produz por si, primeiro a planta, depois a espiga, por fim o trigo maduro na espiga. E quando o trigo o permite, logo mete a foice, porque já chegou o tempo da colheita». Jesus dizia ainda: «A que havemos de comparar o reino de Deus? Em que parábola o havemos de apresentar? É como um grão de mostarda, que, ao ser semeado na terra, é a menor de todas as sementes que há sobre a terra; mas, depois de semeado, começa a crescer, e torna-se a maior de todas as plantas da horta, estendendo de tal forma os seus ramos que as aves do céu podem abrigar-se à sua sombra».

       Numa e noutra parábola, se depreende a presença vital e invisível como Deus na nossa história. Ele agarra-se a nós, desde sempre e para sempre. Vem com a força do Seu Espírito, enformando a nossa vida, mas deixando que seja a nossa vontade a comandar, a acolher ou a rejeitar, em sintonia ou em rutura. Certo é que em momentos de maior dor, temos dificuldade em perceber o Seu amor, a Sua presença. Como Mãe solícita, Deus sofre connosco, caminha connosco, dá-nos o Seu amor maior: Jesus Cristo.

 

       2 – A história dos homens e das mulheres é feita de momentos de grande transfiguração positiva, de encontro, de descoberta e proximidade, de vida sonhada e partilhada, mas também de situações de aflição e rutura, de conflito, de guerra e violência, de destruição. E nesta nossa história, Deus continua a vir a nós para nos desafiar, para nos conduzir e elevar, para cumprir com as suas promessas de felicidade e para nos garantir o futuro de paz e de justiça, aqui e até à eternidade.

       O povo da aliança fez a experiência dolorosa do exílio, da perseguição, do conflito de poderes, de insegurança. Experimentou o inverno e o desconforto do deserto, a desconfiança, o desencanto, a dúvida. Foram tantas as adversidades e desencontros que muitas vezes Israel gritou pela presença mais palpável, pela intervenção mais ativa e visível de Deus. O povo eleito clamou por justiça e por uma LUZ incandescente, apelando à misericórdia divina, apelando para as maravilhas realizadas no passado a favor de todo o povo.

       O profeta relembra o Deus que vem, vem Ele mesmo. Há que ter esperança, há que abrir o coração e a vida, para que Ele venha e nós O encontremos. As palavras de Deus, segundo Ezequiel:

«Do cimo do cedro frondoso, dos seus ramos mais altos, Eu próprio arrancarei um ramo novo e vou plantá-lo num monte muito alto. Na excelsa montanha de Israel o plantarei e ele lançará ramos e dará frutos e tornar-se-á um cedro majestoso. Nele farão ninho todas as aves, toda a espécie de pássaros habitará à sombra dos seus ramos. E todas as árvores do campo hão de saber que Eu sou o Senhor; humilho a árvore elevada e elevo a árvore modesta, faço secar a árvore verde e reverdeço a árvore seca. Eu, o Senhor, digo e faço».

       Um ramo novo, vida nova, anúncio de frutos novos, vida fundeada na esperança, e nas promessas de Deus. Ele é o Senhor, fiel à palavra dada que breve se há de cumprir.

 

       3 – Os tempos novos que nos são anunciados pelo profeta são-nos concedidos em Jesus Cristo, que nos traz a vida nova, nos traz o próprio Deus. As promessas alcançam-nos na história, no tempo e no espaço humanos. Em Jesus Cristo, Deus concede-nos ser Sua morada para sempre, no Espírito Santo. Com efeito, antes de deixar este mundo, Jesus deixa-nos o memorial da Sua presença, dando-nos a Sua vida, o Seu Corpo e Sangue, devolvidos na Eucaristia. Ascendendo para a eternidade, com Ele, coloca a nossa natureza humana junto do Pai. Com o Pai, envia-nos o Espírito Santo, que nos recorda o Seu mandamento de amor, e a Sua vida feita oração e oblação, atraindo-nos para a Luz e para a Verdade, atraindo-nos para Si, não como afastamento mas como compromisso com o mundo atual e com as pessoas que pûs em nossa presença.

       São expressivas, uma vez mais, as palavras do Apóstolo:

"Nós estamos sempre cheios de confiança, sabendo que, enquanto habitarmos neste corpo, vivemos como exilados, longe do Senhor, pois caminhamos à luz da fé e não da visão clara. E com esta confiança, preferíamos exilar-nos do corpo, para irmos habitar junto do Senhor. Por isso nos empenhamos em ser-Lhe agradáveis, quer continuemos a habitar no corpo, quer tenhamos de sair dele. Todos nós devemos comparecer perante o tribunal de Cristo, para que receba cada qual o que tiver merecido, enquanto esteve no corpo, quer o bem, quer o mal".

       Vivemos guiados pela luz da fé, de olhar fito em Deus, e enquanto continuamos a habitar em nosso corpo, a missão de Lhe sermos agradáveis, inserindo-nos desde já no Seu reino eterno. Quando chegar a hora do nosso encontro definitivo, a confiança em que vivemos na fé, dará lugar à visão clara do amor de Deus por nós, e em nós, para sempre.


Textos para a Eucaristia (ano B): Ez 17,22-24; 2 Cor 5,6-10; Mc 4,26-34.

 

Reflexão Dominical na página da Paróquia de Tabuaço.

14.06.12

Catequese Paroquial de Tabuaço - Primeira Comunhão

mpgpadre

       Solenidade do Corpo de Nosso Senhor Jesus Cristo. Na Paróquia de Nossa Senhora da Conceição de Tabuaço é tradicionalmente o dia da Primeira Comunhão. Este ano foram as 17 crianças do 3.º ano de catequese que comungaram pela primeira vez. Depois de algumas fotos para recordar este momento, deixamos agora um pequeno vídeo com mais algumas fotos que juntamos às nossas e cedidas pela Foto Martinho e Pinto. Acompanham as imagens duas canções retiradas do CD "SOMOS +", Edições Salesianas e de apoio ao 8.º ano de catequese...

 

Para ver fotos de todas as Festas da Catequese 2012,

visite o perfil da paróquia de Tabuaço no facebook

11.06.12

Catequese Paroquial de Tabuaço - Bem-aventuranças 2012

mpgpadre

       Sábado, 9 de junho, Eucaristia vespertina, mais uma festa da catequese, desta feita das Bem-aventuranças, dos adolescentes do 7.º ano. Tivemos a ventura de celebrarmos também o Sacramento do Batismo da Constança, filha do Sérgio e da Marlene, paroquianos de Tabuaço. Ficam algumas das imagens desta belíssima festa...

Para mais fotografias visitar:

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Relógio

Pinheiros - Semana Santa

- 29 março / 1 de abril de 2013 -

Tabuaço - Semana Santa

- 24 a 31 de abril de 2013 -

Estrada de Jericó

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

Velho - Mafalda Veiga

Festa de Santa Eufémia

Pinheiros, 16/17 de setembro de 2012

Primeira Comunhão 2013

Tabuaço, 2 de junho

Profissão de Fé 2013

Tabuaço, 19 de maio