...espaço de discussão, de formação, de cultura, de curiosidades, de interacção. Poderemos estar mais próximos. Deus seja a nossa Esperança e a nossa Alegria...
09
Jan 16
publicado por mpgpadre, às 15:00link do post | comentar |  O que é?

1 – «Tu és o meu Filho muito amado: em Ti pus toda a minha complacência».

O Céu abre-se para que a VOZ de Deus se faça ouvir. Com Jesus, Deus está mais perto de nós, tão perto que O podemos ver, tocar, O podemos perseguir, podemos apedrejá-lo e até matá-l'O. Deus está tão perto que Se esconde no meio de nós. Caminha connosco. Percorre ruas e vielas e avenidas que também percorremos, e sonhos e projetos de transformar o mundo e fazer com que todo o mundo seja uma só família e em que todos sejamos irmãos.

A voz que vem de Deus diz-nos que Aquele Homem da Galileia (e da Judeia e do mundo inteiro) é o Filho, o Amado do Pai. É único para o Pai, pois todos aqueles que amamos são únicos para nós. Ama-O com todo o amor. Deus não Se dá aos pedaços, às prestações, ou sob condição em conformidade com o comportamento futuro. Como a Jesus, também a nós Deus nos ama. Ama-nos primeiro. Antes de o merecermos. Ama-nos por inteiro. Como a Jesus. Seremos, como Ele, filhos únicos e bem-amados.

 

2 – A vida pública de Jesus inicia com o Seu Batismo. A nossa vida, como membros do Corpo de Cristo que é a Igreja, inicia com a inserção no Batismo de Jesus, tempo novo de graça e de salvação, novas criaturas, beneficiários da Misericórdia de Deus.

Importante lição de João Batista quando a multidão se pergunta se não será ele o Messias. Poderia deixar andar e beneficiar da expetativa e do sucesso granjeado entre a multidão. Mas depressa lhe assenta o estômago: «Eu batizo-vos com água, mas vai chegar quem é mais forte do que eu, do qual não sou digno de desatar as correias das sandálias. Ele batizar-vos-á com o Espírito Santo e com o fogo».

João prepara o caminho, é a Voz que torna audível a Palavra de Deus que é Jesus Cristo. Aponta para o Messias: Eis o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Ele está antes, porque desde sempre é o Filho de Deus. É Ele que Eu anuncio. Foi por Ele que eu vim.

E lição importante de Jesus que se coloca na fila, sem passar à frente, ao largo ou ao longe, sem Se colocar acima, à margem ou de fora, coloca-Se em fila e como parte daquele povo que se aproxima de João Batista para ser batizado.

Leonardo_01.jpg

3 – Um dos fios condutores do Evangelho e da missão evangelizadora de Jesus é a sintonia com o Pai. O Meu Alimento, diz Jesus, é fazer a vontade de Meu Pai. Nada faço por Mim mesmo. Como vi fazer ao Pai, assim Eu faço. Mais tarde, no entardecer de Quinta-feira santa, o mandato aos seus discípulos: Como EU fiz, fazei vós também. É o caminho e compromisso com o amor, com o serviço, no cuidado terno aos semelhantes que em Jesus se tornam irmãos de cada um de nós.

Enquanto levanta o olhar, o coração, a vida e o mundo para Deus, o céu abre-se e o Espírito Santo assume a forma corporal de uma pomba. E faz-se ouvir uma voz: «Tu és o meu Filho muito amado: em Ti pus toda a minha complacência».

No Batismo de Jesus, e no nosso também, Deus está por inteiro, Pai e Filho e Espírito Santo, manifesta-Se totalmente e assume-nos por inteiro. Ele coloca em nós todo o Seu amor de Pai.

 

4 – São Pedro, na segunda leitura, aponta-nos o CAMINHO a seguir, acessível a todos, já que Deus não faz aceção de pessoas e, portanto, cada um de nós se habilita à Sua herança. Ele enviou-nos Jesus Cristo, Sua palavra, que nos anuncia e nos traz a paz. A condição é o temor/amor a Deus e a prática da justiça.

A referência, o nosso CAMINHO, é Jesus Cristo, Enviado pelo Pai, ungido com a força do Espírito Santo, “passou fazendo o bem e curando todos os que eram oprimidos pelo demónio, porque Deus estava com Ele».

Deus está connosco! Está no meio de nós. Avancemos fazendo o bem e sendo cura para todos os que vêm até nós. Partamos ao encontro uns dos outros.

____________________________

Textos para a Eucaristia (ano C): Is 42, 1-4. 6-7; Sl 28 (29); Atos 10, 34-38; Lc 3, 15-16. 21-22.


11
Dez 14
publicado por mpgpadre, às 11:26link do post | comentar |  O que é?

Festa da comunidade. A Paróquia de Tabuaço tem como Padroeira a Imaculada Conceição (PARÓQUIA DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO), daí que este dia, 8 de dezembro, seja a Festa da Comunidade, envolvendo os crentes, os paroquianos, os Guias e Escuteiros da Europa, os Bombeiros Voluntários de Tabuaço, que A adotaram como Madrinha.

Depois de uma novena de preparação, a grande solenidade. É em dias como este que a Igreja se torna maior, para congregar todos os que se sentem filhos de Maria, pelos que acompanham os seus familiares, ou por outros tantos motivos que só Deus saberá. Aí estão imagens da Eucaristia, da Procissão e da bênção de mais uma Ambulância. Na celebração da Eucaristia, presidida pelo pároco, a presença amiga do Pe. Jorge Giroto e do Pe. Rui Manuel Borges (Pároco de Caria e do Carregal), o Pregador da Novena e da Festa.

DSCF3189.JPG

DSCF3190.JPG

DSCF3193.JPG

DSCF3202.JPG

DSCF3209.JPG

DSCF3218.JPG

DSCF3342.JPG

DSCF3382.JPG

DSCF3401.JPG

 Para visualizar outras FOTOS visite a Paróquia de Tabuaço no Facebook

ou o nosso perfil no GOOGLE +


30
Set 13
publicado por mpgpadre, às 10:00link do post | comentar |  O que é?

       O dia 16 de setembro é o mais marcante para a comunidade paroquial de Pinheiros, Festa da Padroeira, Santa Eufémia. É uma data para os paroquianos e devotos de Santa Eufémia. Todos os que se encontram fora, Porto, Lisboa, Andorra, Angola, Macau, Suiça, França ou em outras paragens, fazem todo o esforço por estar presentes nesta ocasião. Só compromissos de maior impedem a participação na festa e romaria. A maior do Concelho de Tabuaço.

       Considerada a última festa (popular) de Tabuaço, aqui acorre uma multidão de pessoas, para coroar o tempo de festas, para honrar Santa Eufémia, para cumprir promessas, para rezar, suplicar, colocar novos pedidos diante de Santa Eufémia, para agradecer os benefícios por intercessão de Santa Eufémia.

       A partir do dia 7 de setembro, a NOVENA de preparação, com momentos diversos, recitação do Terço em honra de Nossa Senhora, celebração da Santa Missa, em honra de Santa Eufémia, e pelos que entretanto já partiram, no domingo, e este ano foram dois, a exposição e bênção do Santíssimo Sacramento, já que a Eucaristia se mantém no horário habitual, no final da manhã.

       No dia 14, sábado, e pela primeira vez, Procissão das Velas, em honra de Nossa Senhora do Rosário, Padroeira primitiva da paróquia.

       Mas o dia maior é mesmo o dia 16. Logo pela manhã, 8h00, a celebração da Missa matutina, para cozinheiros/as e outros que estarão ocupados durante a solene Eucaristia. Logo depois tempo dedicado ao Sacramento da Reconciliação. E são sempre tantas as pessoas que se confessam neste dia. Para algumas faz parte da promessa de se confessarem e participarem na Santa Missa.

       O facto deste ano ser numa segunda-feira, afastou alguns da festa e romaria, por se encontrarem na apanha da Maça, gentes de Armamar, por exemplo, ou já nas vindimas. Mas os romeiros são mais que muitos e o largo de Santa Eufémia preenche-se de pessoas vindas das paróquias vizinhas, dos concelhos de Tabuaço, em maioria, de Armamar e de Moimenta da Beira. A hora da Missa é a mais sagrada. E a pessoas cumprem com grande generosidade e em grande silêncio. Nem o calor as afasta.

       Este ano o pregador foi o Pe. Manuel João, sacerdote há dois anos, e natural de Penedono, precisamente onde existe um Santuário dedicado a Santa Eufémia. Esta ligação, só por si, já diz muito da devoção a Santa Eufémia por esta região. Contamos também com a presença amiga e prestável do Pe. Jorge Giroto, pregador em 2011.

       Depois da Missa, da Pregação, evocando a firmeza e fidelidade de Santa Eufémia e o desafio a vivermos testemunhando Jesus Cristo, a magestosa procissão com as 9 imagens dos Santos à veneração em Pinheiros: São Sebastião, Padroeiro da Diocese de Lamego, Santo António, Menino Jesus, Nossa Senhora de Fátima, Nossa Senhora do Rosário, Sagrado Coração de Jesus, São José, Santa Bárbara e Santa Eufémia. Este ano, outra novidade, os andores foram enfeitados com flores e já não com os tradicionais panos coloridos. A beleza honra-nos e sobretudo como homenagem aos santos evocados através das Imagens.

       No dia 17 de setembro a festa continua, mais reservada, mais familiar, maioritariamente para os pinheirenses. Se na véspera estiveram, muitos deles, concentrados em acolher/atender aos romeiros, neste segundo dia de festa, em Honra de Santa Bárbara, podem participar de forma mais descontraída. Inicia-se a Procissão, da Igreja para a Capela de Santa Bárbara, onde é celebrada a Eucaristia, com a pregação, seguindo a Procissão até à Igreja Paroquial.

       O mais também é muito importante, comes e bebes, o convívio, a música e a dança, os minutos em família, esteeitanto laços, amizades, vivendo a vida.

       Para o ano há mais, se Deus quiser. Em todo o caso, todo o ano há romeiros devotos de Santa Eufémia, que se deslocam a Pinheiros para cumprir promessas, agradecer a sua intercessão, ou fazer pedidos.

Para visualizar outras fotos visite o perfil da Paróquia de Pinheiros no facebook.


14
Ago 13
publicado por mpgpadre, às 18:00link do post | comentar |  O que é?

       A pouco mais de uma mês da festa da Padroeira, com novena, pregação e romaria, a 16 e 17 de setembro, esta festa do emigrante, no segundo fim de semana de agosto, é a oportunidade para aqueles que estarão impossibilitados de participar em setembro, de viverem um momento de convívio, partilha, festa e fé, saboreando este chão que nos aproxima. Ficam imagens da Eucaristia, presidida pelo reverendo Pe. Diamantino Duarte, da Procissão com a imagem de Santa Eufémia e a visita ao Cemitério, rezando por familiares e amigos que já partiram mas continuam a fazer parte da comunidade crente...

Para outras fotografias visitar o perfil da Paróquia de Pinheiros no facebook

ou no nosso GOOGLE +


08
Abr 13
publicado por mpgpadre, às 10:25link do post | comentar |  O que é?

5 e 6 de abril, a paróquia de Nossa Senhora da Conceição viveu dois momentos luminosos, potenciando outros locais de culto e outras oportunidades.

       Na sexta-feira, Eucaristia-Festa de São Vicente Ferrer, na Capela que lhe é dedicado, animada pelo grupo coral e pelos jovens.

       No sábado, à noite, na Igreja Paroquial, um tempo de ORAÇÃO-TAIZÉ. Um bom grupo de pessoas se juntou para mais este encontro de oração, em atitude de escola de vivência de fé, com a presença de elementos dos vários grupos paroquiais e com o entusiasmo especial do Grupo de Jovens. Agora algumas das imagens:

Outras fotos da Escola da Fé: AQUI.

Outras fotos sobre a festa de São Vicente: AQUI


13
Mar 13
publicado por mpgpadre, às 14:00link do post | comentar |  O que é?

Gianfranco RAVASI. O que é o Homem? Sentimentos e laços humanos na Bíblia. Paulinas Editora, Prior Velho 2012, 144 páginas.

       O Cardeal Gianfranco Ravasi, que se encontra em Conclave para a eleição de um novo Papa, sendo um dos papáveis segundo a comunicação social, e que pregou o Retiro Quaresmal à Cúria Romana, na qual se incluía o então Papa Bento XVI, que tinha anunciado a renúncia ao Pontificado no dia 11 de fevereiro, com efeitos a partir do passado dia 28 de fevereiro, o último do mês, ajuda-nos a uma caminhada pela Bíblia, procurando o essencial do ser humana, em linha com a história da aliança de Deus com o povo, com a reflexão crente sobre a vida, o ser humano, imagem e semelhança de Deus, as formas de viver o amor, e o sofrimento.

       Este livro faz parte de uma coleção "Poéticas do viver crente. Linhas de Rumo", coordenada pelo Pe. Tolentino de Mendonça, com textos muito acessíveis, de fácil leitura, positivos, envolventes, alimentados na Palavra de Deus, para iluminar as horas que passam.

       O autor parte do sentir humano, com raízes na Bíblia, lançando pontes para outras religiões, para outras culturas, para tempos de antigamente e para os nossos dias. E nesse sentir, a evolução das emoções/sentimentos, na busca da mansidão que aproxima, constrói, fazendo-nos apostar nos outros, no perdão, na partilha, numa justiça que vai muito além da medida retribuitiva.

Do sentimento do medo, que nos dobra e escraviza, ao temor que nos abre o coração a Deus, como preparação para a festa do encontro com Deus, para saborear o amor, a alegria, a festa.

       O ser humano descobre-se na festa, na alegria, no amor, mas também no sofrimento. Também aqui, o autor não deixa de nos fazer viajar pela história do povo de Deus, descrita na Bíblia, mas também por outros mundos culturais e religiosos. O sofrimento diz-nos da nossa fragilidade e falibilidade. Mas poderá também fazer-nos encontrar connosco e com Deus. Há muitas reflexões teológicas sobre o sofrimento, nem sempre uma teologia do sofrimento. Job lança muitas luzes sobre o sofrimento, explorando a constatação que o sofrimento não é consequência do pecado. Jesus vai ainda mais longe. Vive. Não anula e não esconde o sofrimento. Há de entregar-Se. O Seu sofrimento é vicário, sofre por nós, em nossa vez, para nos libertar, para nos colocar na comunhão com Deus, em absoluto. A fraqueza e a debilidade poderão ser oportunidade para se manifestar a grandeza de Deus e o seu amor..

       O ser humano pode desenhar-se numa linha contínua, segundo o autor, na qual há lugar para o sentir, para o medo, para o sofrimento, para a festa, para o amor. Segundo ele, são vários (7) os rostos do amor: eclesial, social, nupcial, paterno e materno, familiar, de amigos (amical), e o amor pátrio. A este propósito alguns dos títulos dos capítulos finais: Amigos do peito, amigos na vida e na morte; Casal humano: à imagem do amor de Deus; A família; Cabelos brancos, «Coroa de Glória», sobre a velhice, com as virtudes que poderá trazer, ainda que não seja sinónimo de sabedoria ou de santidade...

       Mais uma leitura interessante para a Quaresma, ou para qualquer grande, sobre o ser humano, com as suas fraquezas, com a grandeza que lhe vem de Deus.


05
Fev 13
publicado por mpgpadre, às 10:40link do post | comentar |  O que é?

       No passado dia 2 de fevereiro, tradicionalmente o Dia das Candeias, a Igreja celebra a festa da Apresentação de Jesus no Templo (mas algumas terras continuam a clebrar em honra de Nossa Senhora das Candeias).

       Como em outras paróquias, também na de Nossa Senhora da Conceição, oportunidade para envolver as ciranças da catequese, acentuando a LUZ, a BÊNÇÃO, as primícias. A clebração da Eucaristia iniciou com a bênção das velas, recordando o nosso batismo: à LUZ que é Cristo Jesus vamos buscar luz para as nossas vidas.

       O Evangelho (que disponibilizámos), foi encenado por crianças e adolescentes da catequese, e com um bébé. No momento de ação de graças, a bênção e distribuição do pão, símbolo da primícias da terra, como oferenda a Deus, pedindo que nos dê fartura de pão e sobretudo de sentido para a nossa vida. No final a bênção de todas as crianças da catequese, renovando o desafio da fé para nos tornarmos bênção uns para os outros.

       Para outras fotos visitar a página da Paróquia de Tabuaço no facebook.


10
Dez 12
publicado por mpgpadre, às 15:43link do post | comentar |  O que é?

       Depois da Novena de prepação, eis o grande dia para a comunidade paroquial de Tabuaço, com a Festa da Imaculada Conceição, Padroeira de Portugal, Padroeira de Tabuaço, Madrinha dos Bombeiros Voluntários de Tabuaço. Pela manhã, a bênção de 2 carros dos Bombeiros, incluída na cerimónia de aniversário assinalado neste dia. Já completaram 80 anos. Da parte de tarde a celebração da Eucaristia, seguida da Procissão por algumas das ruas da paróquia/vila de Tabuaço.

       Toda a comunidade presente, Conselho Económico, Catequistas, Zeladoras da Igreja e dos altares, Grupos Corais e Organistas, Acólitos, Leitores, Mordomas, Guias da Europa, Jovens. Entidades públicas - Bombeiros Voluntários, Câmara Municipal, Junta de Freguesia, Guarda Nacional Republicana.

       A Eucaristia animada no canto pelo Grupo Coral/Paroquial de Nossa Senhora da Conceição, e com a prestimosa pregação do Pe. Ricardo Barroco, que durante 10 dias soube comunicar a beleza da palavra de Deus, com o recurso à vida e missão de Nossa Senhora, entrando na vida concreta das pessoas, e com exemplos de fácil captação. Todos se empenharam para que a celebração fosse festiva, alegre, envolvente.

       Na Procissão, a presença da Fanfarra de São João da Pesqueira, a convite dos Bombeiros Voluntário de Tabuaço, cartazes alusivos a Nossa Senhora, o ícone e a CRUZ das Jornadas Diocesanas da Juventude, com os jovens, as crianças da Primeira Comunhão, junto ao andor de Nossa Senhora, Os Bombeiros, e os sacerdotes e acólitos, as autoridades, e Banda de Música de Sendim, e todos os que fizeram questão em integrar a Procissão.

       Aqui ficam algumas das imagens deste dia tão significativo para a comunidade paroquial, e para toda a Vila de Tabuaço, bem como para muitas pessoas do Concelho.

Disponibilizamos outras fotos na página da Paróquia de Tabuaço no facebook.


16
Set 12
publicado por mpgpadre, às 21:42link do post | comentar |  O que é?

       As festas em honra de Santa Eufémia, peregrinação e romaria, traz a Pinheiros uma enchente, e ainda para mais quando o dia 16 de setembro coincide com o fim de semana, como foi este ano, coincidindo com o Domingo. Há outros momentos e celebrações na comunidade paroquial de Pinheiros, de que dá nota também o segundo número do Boletim Paroquial de Santa Eufémia, elaborado para ser entregue às pessoas precisamente no ocasião das festas da comunidade.

       Além das fotos, alguns textos de reflexão e de informação sobre a vida da comunidade paroquial de Pinheiros. O Boletim pode ser lido e visto no formato digital. Clique sobre a imagem, ou abaixo faça download.

Download em PDF: Santa_Eufmia_2012.pdf


10
Set 12
publicado por mpgpadre, às 12:00link do post | comentar |  O que é?

  1. O Evangelho deste Dia faz desfilar diante de nós uma admirável litania de nomes. Esta longa, lenta e bela melodia ensina-nos que, para chegarmos junto de Jesus e de Maria é necessário primeiro atravessar, com sentida emoção e repassada alegria, a lição de todo o Antigo Testamento, sentir o pulsar do coração dos «justificados» que o habitam, e entrar, juntamente com eles, nessa imensa peregrinação ou procissão de esperança que nos leva até «José, esposo de Maria, da qual nasceu Jesus» (Mateus 1,16). É uma teia de 44 nomes que nos leva a esse cume inundado de Luz, que nos encandeia e nos cega os olhos, e nos faz ver este mistério inefável e profundo, legível só à outra luz do coração.
  2. Admirável litania de nomes e gerações,/ longa, lenta e bela melodia,/ que nos ensina que para chegarmos junto de Jesus e de Maria, / é necessário subir a escadaria.
  3. Prosseguindo o Evangelho deste Dia, também se vê bem que «o essencial é invisível para os olhos», e que «só se vê bem com o coração». É assim que José, o justo, pensa em sair de cena, silenciosamente, amorosamente, para não atrapalhar ninguém, e deixar a cena toda livre para Deus. E é também assim que Deus desce na passividade de um sonho e entrega a José o que é, na verdade, coisa própria de Deus: a esponsalidade e a paternidade. Deus é o Esposo, o verdadeiro Esposo, tantas vezes dito nas páginas do Antigo e do Novo Testamento. Deus é o Pai, o verdadeiro Pai, tantas vezes dito nas páginas do Antigo e do Novo Testamento. É só por graça que José recebe Maria como esposa, e é só por graça que é o pai do Filho de Deus, nascido de Maria. Na verdade, diz bem Tiago, juntamente com o Apóstolo Paulo, que «toda a paternidade, como todo o dom perfeito, vêm do Alto, descem do Pai das Luzes» (Efésios 3,15; Tiago 1,17).
  4. Subamos, pois, mais alto. Desçamos, pois, mais fundo. Caríssimos pais e mães, os filhos que gerais e que vos nascem, são, antes de mais, vossos ou são de Deus? Dir-me-eis: este filho é nosso, fomos nós que o geramos, fui eu que o dei à luz, nasceu no dia tal. E eu pergunto ainda: sim, mas porquê esse, e não outro? É aqui, amigos, que entra o para além da química e da biologia. É aqui, amigos, que entramos no limiar do mistério, na beleza incandescente do santuário, onde o fogo arde por dentro e não por fora. É aqui que caímos nos braços da ternura de um amor novo, maternal, patente neste colo virginal de Nossa Senhora dos Remédios, que nenhuma pesquisa biológica ou química explicará jamais. Todo o nascimento traz consigo um imenso mistério. Sim, porquê este filho, e não outro? Porquê este, com esta maneira de ser, este boletim de saúde, este grau de inteligência, esta sensibilidade própria? Sim, outra vez, porquê este filho, e não outro, com outra maneira de ser, outro boletim de saúde, outro grau de inteligência, outras aptidões? Fica patente e latente que, para nascer um bebé, não basta gerá-lo e dá-lo à luz. Quando nasce um filho, é também Deus que bate à nossa porta, é também Deus que entra em nossa casa.
  5. A Bíblia é um livro cheio de nascimentos. Hoje é o dia de anos de Maria, o aniversário de Maria, que aqui, nesta sua Casa, saudamos de perto sob a invocação de Nossa Senhora dos Remédios. O humilde profeta Miqueias, saudou-a de longe, à distância de oito séculos no tempo, e de trinta quilómetros no espaço, lá do meio dos seus campos de Moreshet-Gat, a sua aldeia natal. Daí, levantou os seus olhos claros e carregados de verdade como árvores carregadas de frutos, e viu a cidade capital, Jerusalém, cheia de vícios, de vazio religioso, exploração dos pobres pelo rei e pelos poderosos. Miqueias denuncia esta situação escandalosa com uma linguagem duríssima. Escreve ele: Por acaso, não cabe a vós, chefes de Jacob, dirigentes de Israel, conhecer o direito, vós que odiais o bem e amais o mal, que arrancais a pele do meu Povo, lhe comeis a carne, cortando-a em pedaços e cozendo-a na panela, e lhe roeis os ossos?» (Miqueias 3,1-3).
  6. Visto isto, Miqueias levanta ainda mais os seus olhos muito puros, lancinantes, como estremes facas de dois gumes, e eis que vê nascer, ainda que à distância e em claro contraponto, um futuro novo, um mundo novo, que se condensa, não na figura de um rei, rico, viciado, explorador, mas no puro recorte de uma mãe que há-de dar à luz e amamenta um menino (Miqueias 5,2). Uma mãe que amamenta um menino. Este quadro, vê-o Miqueias, não a surgir da viciada Jerusalém, mas dos campos da humilde terra de Belém (Miqueias 5,1). Por isso também, não se atreve Miqueias a dar o título de rei (melek) ao senhor desse mundo novo, a raiar; em vez de rei, será um guia (môshel), que sabiamente irá à frente do seu Povo (Miqueias 5,1).
  7. Uma Mãe que amamenta um menino. Se vejo bem, estou mesmo a ver o quadro luminoso de Nossa Senhora dos Remédios. E compreendo melhor a razão porque a amamos tanto. Está ali, bem à vista, a Mãe e o Menino, mas também o coração,/ a respiração,/ a pulsação,/ a lalação,/ a aleitação./ Vida recebida,/ amada,/ mimada,/ acariciada./ Nunca enlatada.
  8. Não há no mundo braços tão fortes como os de uma Mãe. Da nossa Mãe. Por isso vimos aqui de dia e de noite. Respira-se aqui outra cultura, outro amor, outra alegria. Por isso vimos aqui, de noite e de dia, entregar a Maria as nossas dores e as nossas flores. Aqui encontramos a cura do amor verdadeiro e sem ruga. Daqui saímos sempre renovados, porque aqui sentimo-nos amados e embalados nos teus braços maternais, Mãe. Aqui, aqui, aqui começa o mundo, Mãe.
  9. Encarecidamente imploro ao Senhor Reitor deste Santuário de Nossa Senhora dos Remédios e à Real Irmandade de Nossa Senhora dos Remédios, que tudo façam para que este lugar nunca seja um des-lugar, mas seja cada vez mais, não apenas o ex-libris de Lamego, mas o mais belo lugar de Lamego, o mais terno lugar de Lamego, o mais aconchegado lugar de Lamego, o património mais comovido de Lamego. Os pobres, os nossos irmãos que doem, têm de encontrar aqui a sua Casa. E as esmolas e as ofertas aqui depositadas pelos nossos irmãos que doem e que dão têm de nos merecer um infinito respeito, e não podem ser gastas em qualquer coisa, de qualquer maneira, sem estremecimento nosso. Têm de ser obrigatoriamente gastas, exclusivamente gastas, escrupulosamente gastas em abraços maternais, sem outras contabilidades, calculismos ou exercícios financeiros. A Real Irmandade de Nossa Senhora dos Remédios tem aqui a sua vocação e a sua missão mais nobre, mais pura, mais sublime, mais humana, mais divina. E nós, todos nós, que mais de perto sentimos o chão e o Céu deste Santuário temos todos a estrita obrigação de nos gastarmos também em abraços maternais.
  10. Encarecidamente imploro às queridas Irmãs Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição, que são quem mais tempo passa neste Santuário e a ele mais se dedica, a graça de continuarem a dar-se de corpo inteiro, coração inteiro e tempo inteiro, a encher de amor este bocadinho de chão e de Céu. Eu sei que vós sabeis, melhor do que ninguém, como fazer deste espaço um regaço e um abraço.
  11. Senhora dos Remédios, Senhora da Embalação e da Aleitação, pega em nós ao colo, vela por nós, fica à nossa beira. É bom ter uma Mãe como companheira, médica e enfermeira.

Lamego, 08 de Setembro de 2012, Solenidade de Nossa Senhora dos Remédios

+ António José da Rocha Couto, Bispo de Lamego


13
Ago 12
publicado por mpgpadre, às 10:10link do post | comentar |  O que é?

SOLENIDADE DE NOSSA SENHORA DOS REMÉDIOS
Nota Pastoral

 

1. No próximo dia 8 de Setembro, dia em que a Igreja celebra a Festa da Natividade da Virgem Santa Maria, a Igreja que vive na Cidade de Lamego celebra a Solenidade de Nossa Senhora dos Remédios, sua Padroeira principal.


2. Nossa Senhora dos Remédios é, com certeza, nas suas coordenadas culturais e religiosas, o ponto mais alto (falo de outras alturas) da cidade de Lamego, mas também de toda a nossa Diocese de Lamego, e ainda de muita gente humilde e devota do inteiro Portugal e até do estrangeiro, que acorre a este lugar alto (a Bíblia chama «lugar alto» [maqôm], mais alto do que eu, aos santuários de Deus) para, juntamente connosco, bater a esta porta aberta desta Casa da Mãe de Deus e nossa Mãe, à procura de algum consolo para as suas dores e de um bocadinho de esperança para a sua vida.

3. A nós, Igreja de Deus que vive nesta Cidade e nesta Diocese de Lamego, compete-nos, portanto, pôr a mesa e acender a lareira, para que esta Casa da nossa Mãe seja um lar belo e acolhedor, onde todos aprendamos outra vez a sentir-nos verdadeiramente filhos e irmãos.

4. Ouso, por isso e para isso, apelar a todos os Movimentos e a todas as Comunidades Paroquiais espalhadas pelo espaço da nossa Diocese de Lamego, com os seus párocos e fiéis, acólitos e porta-estandartes, a marcarem presença activa, peregrinante e orante, de modo a enchermos de Fé, de Amor e de Esperança todos os caminhos que vão dar ao Santuário de Nossa Senhora dos Remédios.

5. O Dia Grande é o Dia 8 de Setembro. Nesse Dia haverá no Santuário de Nossa Senhora dos Remédios, às 10 horas, a Solene Celebração da Eucaristia. E às 16 horas terá lugar a Solene Procissão que, saindo da Igreja das Chagas e atravessando as ruas da cidade, se dirigirá para o Santuário de Nossa Senhora dos Remédios.

6. Toda a grande Celebração requer que nos preparemos condignamente para ela. Nesse sentido, o Santuário oferece um itinerário de preparação, que decorrerá de 30 de Agosto a 7 de Setembro, com dois momentos altos em cada um dos dias desta novena: às 6 horas da manhã, haverá a Recitação do Terço, Adoração e Celebração da Eucaristia; e às 18 horas, haverá um tempo de oração mariana, orientado pelas Irmãs Franciscanas Hospitaleiras. No dia 6, no final da Oração da manhã, a imagem de Nossa Senhora dos Remédios será levada em Procissão para a Igreja das Chagas, de onde sairá no dia 8, em Solene Procissão, às 16 horas.

7. Aproveitemos este tempo de graça para renovarmos a nossa Alegria cristã e a nossa Dedicação à Mãe de Deus e Mãe nossa, que sempre nos acolhe na sua Casa e nos conforta nos seus braços maternais.

 

 

Lamego, 11 de Agosto de 2012, memória de Santa Clara de Assis
+ António Couto, Bispo de Lamego


03
Jul 12
publicado por mpgpadre, às 12:00link do post | comentar |  O que é?

       O Jardim Infantil de Pinheiros, e como vem sendo hábito, promoveu a Missa de Finalistas dos seus quatro meninos, na abertura à comunidade e à dimensão espiritual, lembrando que a escola se faz na corresponsabilidade da família e do contexto social envolvente, e promovendo os valores do espírito, a criatividade, a religiosidade, a vida interior, a relação com os outros. Ficam algumas imagens da celebração eucarística e de um farto lanche, em formato de vídeo e com duas belíssimas canções da catequese...

 

 

Leia também: PINHEIROS - Festa de Finalistas no Jardim Infantil


29
Jun 12
publicado por mpgpadre, às 18:56link do post | comentar |  O que é?

       Solenidade do martírio dos Apóstolos São Pedro e São Paulo, enriquecida com a festa de ação de graças dos FINALISTAS do Jardim Infantil de Pinheiros (inclui o lugar de Carrazedo, única paróquia do Arciprestado de Tabuaço que não é freguesia). A Festa teve o condão de contar com a beleza, o encanto e a simplicidade dos quatro finalistas e de outras crianças e adolescentes.

       Oportunidade de abertura à comunidade e à dimensão espiritual da vida, em lógica de solidariedade intergeracional, tão necessário no mundo e no tempo atuais.

       Ficam algumas imagens, outras poderão ver vistas no perfil das Paróquias de PINHEIROS e de CARRAZEDO no facebook.


03
Jun 12
publicado por mpgpadre, às 09:00link do post | comentar |  O que é?

       1 – O mundo é um oceano de mil e uma cores, mais, muito mais colorido que possamos imaginar. A experiência mais básica mostra-nos uma imensa variedade de formas e de vida (biodiversidade – pássaros, peixes, animais, plantas). Tudo é diferente, multicolor. E quando nos referimos ao ser humano, maior a complexidade. Cada pessoa é única e irrepetível. Conhecemos bem uma pessoa e de repente, sem contarmos ela surpreende-nos, em absoluto, negativa ou positivamente. Somos mistério. Um manancial de surpresas. Não abarcamos toda a realidade e muito menos a vida humana. Como as doenças: não há doenças, há doentes e o mesmo remédio não atua em de igual forma.

       Num primário instinto de sobrevivência opomo-nos à pluralidade, procurando uniformizar. Juntamos o que é parecido, em partidos, movimentos, associações, tentamos anular as diferenças:

  • na família – os filhos hão de seguir as pisadas dos pais, o marido e a mulher têm de se submeter ao que o outro pensa, o elo mais fraco é por vezes sacrificado para haver harmonia; na escola – queremos que as turmas sejam muito iguais, se alguém aparece diferente (positiva e negativamente) é muito difícil aceitá-lo sem resistência, sem conflito;
  • na política – encerrar todos no mesmo partido, ou dentro do partido nas mesmas ideias, as do chefe, só ele pensa, só ele deve falar, ou todos dizem o que ele diz, no governo e/ou na oposição;
  • no desporto – os treinadores e os jogadores só podem falar para secundarizar a opinião do presidente;
  • na cultura – só vale o que arrasta multidões, é necessário obrigar as pessoas a ser cultas, para isso elas têm que gostar daquele pintor, daquela tela, deste monumento e daquele grupo musical;
  • na economia – manda quem tem mais dinheiro ou mais riqueza, obedece e cala-se quem tem menos, se quer garantir o futuro;
  • na vida sindical – só o chefe argumenta contra patrões e contra o governo, e todos têm que alinhar dizendo mal;
  • na religião – que promove as diferenças e é voz dos que não têm voz, por vezes lida-se mal com as discordâncias, ao ponto de ostracizar aqueles que destoam.

       Obviamente que em todos os grupos sociais – constituídos por pessoas –, têm de existir regras e orientações, até para validar as pertenças e a identidade.

       Há uma enormíssima dificuldade em trabalhar em grupo, pois cada um quer impor-se e impor a sua visão. Os que discordam, estão errados, são intolerantes, não querem colaborar... E nós?! Cada um de nós precisa de se afirmar ou ser reconhecido pelos demais. Mas os caminhos podem aproximar-nos ou distanciar-nos. Podemos ser reconhecidos pelo bem, apostando precisamente no desenvolver das nossas capacidades, como um meio para nos realizarmos. Ou podemos impor-nos destruindo os outros, colocando-os como meio, como instrumento, e o fim é o reconhecimento – é preferível que falem mal de mim do que não digam nada.

       É neste quadro (que não é negro) que a celebração da Santíssima Trindade adquire uma importância colossal. Deus é Um e é Trino. Três Pessoas, uma Natureza (divina), Um só Deus. Coexiste a diferença e a unidade, sem confusão nem atropelo. Qual o segredo: o AMOR. Deus é amor. O amor acolhe, compreende, gera vida, cria e recria o mundo, reconcilia, envolve.

 

       2 – Na celebração solene do Pentecostes víamos como a linguagem do amor é acessível para todos. Se estendemos a mão, se oferecemos um sorriso, se damos uma flor, mesmo falando línguas estranhas uns aos outros, entendemo-nos na perfeição.

       A vida humana é multifacetada. Não é monotonia, mas sinfonia (Pe. João André, Da minha Janela). Celebramos hoje a festa da sinfonia, a Santíssima Trindade, onde a vida circula, criando e recriando. A Igreja nasce, sustenta-se e deve desembocar na Trindade. Há de configurar-se, identificar-se, imiscuir-se no mesmo projeto de amor e de vida nova. Batalhar pela unidade que respeita a diferença, que acolhe o estranho, que promove cada tonalidade do ser humano.

       Somos de uma riqueza incomensurável. Mesmo quando não aceitamos os outros e as suas opiniões, dependemos mais ainda deles, para lhes fazermos ver, ou para sermos reconhecidos. Ainda que nos julguemos perfeitos, o que dizemos e fazemos é muito em função dos outros. A aceitação da nossa fragilidade, das nossas imperfeições, da possibilidade de estarmos errados, ajudaria a dialogar, a crescer, a criar laços duradouros e fraternos, à inclusão/integração do diferente, sem imposição ou submissão da nossa parte, sem humilhações, mas na descoberta da beleza e da grandeza do ser humano que nos visita, que entra na nossa história, pessoal, familiar, social, profissional.

       Perdemos tanto tempo a impor-nos, a discutir para saber qual dos dois ou do grupo é melhor, quem tem mais seguidores, quem colhe mais simpatias, quem é o mais atraente da turma, ou o mais popular da escola, e por vezes, demasiadas vezes, esquemo-nos de viver, de apreciar os outros e a sua originalidade. Quantas vezes nos irritamos ao ver que o outro é o centro, como quereríamos anulá-lo e colocar-nos no seu lugar. (O mesmo e alteridade). Para quê reduzir o outro, quando podemos caminhar juntos, olhar na mesma direção, apreciando o horizonte e apoiando-nos nas dificuldades? Importa colher a presença de Deus em cada diferente... Também aqui Jesus é o Mestre dos Mestres. O seu grupo é heterogéneo. De tal maneira que por vezes tem de refrear a crítica ou os desejos incontroláveis de alguns.

       Na primeira leitura, os mandamentos de Deus são-nos propostos como aposta nos outros, na tolerância e na mútua aceitação.

Diz-nos Moisés, "considera hoje e medita em teu coração que o Senhor é o único Deus, no alto dos céus e cá em baixo na terra, e não há outro. Cumprirás as suas leis e os seus mandamentos, que hoje te prescrevo, para seres feliz, tu e os teus filhos depois de ti, e tenhas longa vida na terra que o Senhor teu Deus te vai dar para sempre". É o trilho da descoberta e do encontro, da vida e da felicidade, sem endeusamento. Só Deus é Deus.

 

       3 – A nossa fragilidade é estrada de encontro na fragilidade dos outros. Se estamos "cheios" de nós, voltados para o nosso umbigo, a abarrotar, não há espaço nem para a alteridade nem para a transcendência, isto é, não há lugar nem para outros e nem para Deus.

       Reconhecermos a nossa pobreza é o primeiro passo para valorizarmos a riqueza que nos vem de Deus através dos outros. Reconhecer em nós a presença de Deus, é o primeiro passo para fazermos com que a nossa riqueza nos abra à generosidade, à partilha e à comunhão.

       São Paulo mostra-nos como a nossa origem, a nossa identidade, a abertura para o Espírito nos deve guiar como filhos de Deus.

"Todos os que são conduzidos pelo Espírito de Deus são filhos de Deus. Vós não recebestes um espírito de escravidão para recair no temor, mas o Espírito de adoção filial, pelo qual exclamamos: «Abá, Pai». O próprio Espírito dá testemunho, em união com o nosso espírito, de que somos filhos de Deus. Se somos filhos, também somos herdeiros, herdeiros de Deus e herdeiros com Cristo; se sofrermos com Ele, também com Ele seremos glorificados".

       Por sua vez, o Evangelho envia-nos em nome da Santíssima Trindade, para levarmos o melhor de nós, levarmos Deus a toda a parte, e acolhermos, potenciando, o que os outros nos dão da parte de Deus.

"Jesus aproximou-Se e disse-lhes: «Todo o poder Me foi dado no Céu e na terra. Ide e ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-as a cumprir tudo o que vos mandei. Eu estou sempre convosco até ao fim dos tempos»".

       Cumprindo o que Ele nos manda, viveremos como filhos e como irmãos, como herdeiros e imitadores de Jesus Cristo, procurando espelhar em nós a vida nova que recebemos quando n’Ele fomos enxertados, pelo Espírito Santo, no sacramento do batismo.

 

       4 – Deitar-nos-emos na cama que fizermos. O que escolhemos fazer hoje, vivemo-lo amanhã, como bem canta Sara Tavares, em “Escolhas”, baseado no dilema de São Paulo, sei que posso fazer tudo, mas nem tudo me convém.

       Centrando-nos no mistério da Santíssima Trindade, o desafio é integrar o diferente, em dinâmica de amor oblativo e disponibilizando aos outros os dons que Deus nos dá.

       A escolha faz-se entre compreender (incluir, acolher, respeitar, amar) e julgar (catalogar, condenar, recriminar, destruir). Quando julgamos fazemo-lo (quase) sempre da nossa janela, a partir de nós, das nossas referências e (pre)conceitos, da nossa forma de ver o mundo, em tentação de reduzir o outro ao que sou e à ideia que tenho da vida. Em Deus, Pai e Filho e Espírito Santo, predomina a relação amorosa e dialogante. 


Textos para a Eucaristia: Deut 4, 32-34.39-40; Rom 8, 14-17; Mt 28, 16-20.

 

Reflexão dominical na página da Paróquia de Tabuaço.


29
Mai 12
publicado por mpgpadre, às 11:00link do post | comentar |  O que é?


07
Mai 12
publicado por mpgpadre, às 14:00link do post | comentar |  O que é?

       Cada comunidade assinala à sua maneira as data comemorativas. Em Tabuaço, a opção solenizar o Ofertório, e oferecer a cada mãe/mulher adulta, uma rosa e um cartão a assinalar o dia, e com a leitura de um poema. Em Pinheiros, a oferta de uma rosa, um cartão e a leitura de um poema. Das duas paróquias temos algumas imagens. Em Carrazedo, cada pessoa levou uma flor, ou um ramos de flores e no momento de ação de graças, os que tinham as mães presentes oferecem-lhe a flor/o ramo. As pessoas cujas mães já faleceram ofereceram a flor/ramo a Nossa Senhora, Mãe nossa.

       A frase escolhida para o cartão de comum a Tabuaço e Pinheiros é de Ermes Ronchi: "Como Deus não podia estar em toda a parte, criou as Mães" (As casas de Maria). Aqui ficam imagens de Pinheiros e de Tabuaço. Podem ver-se mais no perfil do facebook: PINHEIROS || TABUAÇO:


10
Abr 12
publicado por mpgpadre, às 17:30link do post | comentar |  O que é?

       A celebração da Páscoa é sempre motivo de festa, de convívio, de encontro em família. Também de recordar os que já partiram e continuam a fazer parte da família e da comunidade. E também lembrança dos que estão longe, doentes ou em trabalho. A visita pascal, na paróquia de Pinheiros, é à segunda feira de Páscoa. Aqui ficam algumas das imagens, em formato de vídeo, deste dia de festa e de fé...

 


21
Fev 12
publicado por mpgpadre, às 19:30link do post | comentar |  O que é?

É Carnaval ninguém leva a mal, se fizer por tal.

A diversão, as festas, os momentos de lazer, fazem parte do nosso quotidiano. Por um lado permitem-nos descansar da rotina diária - que também é precisa, só assim faz sentido sair da rotina -, e por outro lado aproximam-nos dos outros, se aproveitarmos para conviver, para aprender, para acolher, para potenciar outros talentos.
Os tempos de descontração são bom lenitivo nas dificuldades e nas canseiras.
Seja Carnaval seja outra qualquer festa, ainda que pagã, pode ser aproveitada pelos crentes, pelos cristãos, para evangelizar.
Até para brincar é preciso ser sério.
Há quem não saiba brincar.
Há quem brinque quando não é ocasião para tal.
Há ocasiões propícias para brincar.
Quem brinca não precisa de deixar de ser sério.
Quem é pouco sério, falseia também a brincadeira e a diversão.
Quem aproveita a brincadeira para ser desonesto, perverte a beleza e a saúde da diversão.

Também nas brincadeiras dá para conhecer as pessoas.
Pode acontecer que alguns se escondam por detrás das máscaras - para tal nem precisam do Carnaval para o fazer -, para fazer mal, para prejudicar, para agredir, para ofender pessoas que à luz do dia, e sem máscaras, não o fariam.
A coerência de vida também passa por aqui: procurar ser iguais a nós próprios no trabalho, no lazer, nos momentos sérios da vida e como nos momentos de descontração.

Quem é maltratado pode não saber quem está por detrás da máscara.
Quem faz mal, ainda que protegido pela máscara, e tiver (alguma) consciência, saberá que fez mal, agiu à falsa fé, usou a hipocrisia e a cobardia para esconder as suas debilidades físicas e/ou afetivas.

Estas palavras não são para terceiros. É para todos. Podemos passar por algum momento de fraqueza em que nos escondamos do olhar dos outros...
Estamos todos a caminho.
Quem puder e/ou quem quiser aproveite o Carnaval para se divertir não à custa dos outros, mas com os outros e para os outros. À custa dos outros, brincávamos quando éramos muito crianças, muito infantis...


01
Fev 12
publicado por mpgpadre, às 20:12link do post | comentar |  O que é?

Alegre-se com a felicidade dos outros, rejubile com os sucessos dos que o/a rodeiam.
Nos dias que recebemos de Deus a vida e o tempo, de forma gratuita - não pedimos para nascer -, encontramos pessoas várias que se alegram mais com os infortúnios alheios do que com as coisas boas que podem apreciar em suas vidas.
Impressiona-me quando vejo pessoas tristes porque outros têm sucesso, ou obtiveram algum ganho significativo.
Mas por quê?
O que as outras pessoas têm ou o sucesso que obtêm não me diminui, de forma nenhuma. Pode até não acrescentar nada à minha existência pessoal, mas também não me retira nada, absolutamente nada.
Pelo contrário, se me comprazo na infelicidade alheia isso é sinal evidente que a minha vida não é agradável, não tenho valor, não valorizo o que há de bom em mim e na minha vida, sou vazio, preencho o meu coração e o meu pensamento com situações que, de forma solidária, me deveriam penalizar.
Claro, posso dizer que os outros também se alegram com os meus fracassos. E depois? Que me há de interessar isso.
Escolha, como refletimos em outro momento, valorizar os outros e alegrar-se com o sucesso até dos seus inimigos...
É mais uma forma de ser feliz, de viver pela positiva.
Alegre-se por que o outro se encontrou, por que o outro é feliz.
Mesmo que agora as coisas não te/lhe estejam a correr bem, há de chegar também o teu dia, a tua hora, confia, vive, aprecia...
Foi assim que o Mestre dos Mestres viveu... sempre à procura de retirar de cada um, as melhores pérolas, mesmo onde só havia visível pedra rústica e informe.


22
Dez 11
publicado por mpgpadre, às 11:22link do post | comentar |  O que é?

       Na edição de dezembro, o Boletim Voz Jovem reflete, de uma maneira muito particular, a vivência à volta da solenidade da nossa padroeira, Nossa Senhora da Conceição, pelo que os textos apresentados, bem como as imagens, são testemunho desta festa, ou melhor, expressam a devoção á Imaculada Conceição e como deverá ser referência, modelo, guia para os cristãos, para os vários grupos paroquiais, e para toda a comunidade, como deverá inspirar-nos no nosso trabalho pastoral nesta ocasião e ao longo de todo o ano. Obviamente, que o boletim é feito também de outras informações e de outras reflexões, como o Olhar de um jovem...

        Mas poderá ler nos diversos formatos...

       O Boletim poderá ser lido a partir da página da paróquia de Tabuaço, ou fazendo o download:


20
Set 11
publicado por mpgpadre, às 17:36link do post | comentar |  O que é?

       Nasceu há um século, no dia 19 de de Setembro de 1911. 100 anos de vida, para o Sr. José Mendes, viúvo, que teve 8 filhos, dois dos quais morreram em acidentes com a natureza. Um homem paciente, trabalhador, honesto e respeitável.

       A família preparou-lhe uma festa de aniversário completa, 100 anos depois, no dia 19 de Setembro de 2011. Pelas 11h00, a celebração da Eucaristia, no altar de Santa Eufémia, Padroeira de Pinheiros.

        O Pregador convidado foi o mesmo das Festas anuais de Santa Eufémia e Santa Bárbara, Pe. António Jorge Giroto, que partindo do nome do homenageado, em celebração de Acção de Graças (= Eucaristia), para apresentar São José como modelo de vida e exemplo a seguir, pelo silêncio, trabalho, dedicação à família, humildade e descrição.

       Também desta vez usou letras para daí "fixar" palavras, atitudes. No dia de Santa Eufémia tinha sido o C, no dia de Santa Bárbara, o P, neste dia as vogais, A,E,I,O,U.:

A - de AMOR, a Deus e ao próximo. O amor e a amizade são fundamentais para dar sentido à vida;

E - de ESPERANÇA. O cristão tem razões para ser e viver alegre, porque confia, espera em Deus, acredita que Deus não lhe faltará;

I - de IMAGINAÇÃO. Criar, ser imaginativo, não estar à espera que os outros resolvam a sua vida;

O - de ORAÇÃO, como São José, uma oração que dialoga com Deus, não apenas que fala, mas sobretudo que escuta;

U - de UNIDADE, construindo laços de afecto e de amizade, dando sabor à vida, não apenas ~união, o estar juntos, uns ao pé dos outros, mas interagir com os outros, uns nos outros e em Deus.


16
Ago 11
publicado por mpgpadre, às 10:32link do post | comentar |  O que é?

       Realizou-se, no segundo domingo de Agosto, no dia 14 de Agosto, a 2.ª Festa do Emigrante, da comunidade paroquial de Pinheiros, um mês antes da festa anual da Padroeira, possibilitando que alguns que não podem estar no mês de Setembro, possam encontrar-se num momento de oração, de convívio, de festa, com toda a comunidade de Pinheiros. Ficam o registo com algumas das imagens, sobretudo da Eucaristia e da Procissão.


03
Mai 11
publicado por mpgpadre, às 11:03link do post | comentar |  O que é?

       "... outro aspecto que caracteriza as testemunhas do Ressuscitado: a alegria e a paz. «Os discípulos encheram-se de alegria por verem o Senhor» (Jo 20,20; Lc 24, 41). A paz é o dom dado pelo Ressuscitado: «A paz esteja convosco!» (Lc 24, 36; Jo 20, 19.21). Mesmo nos momentos difíceis, aparecem «cheios de alegria, por terem sido considerados dignos de sofrer vexames por causa do Nome de Jesus» (Act 5, 41). É a alegria dos homens e mulheres novos, que conhecem a plenitude final e sabem viver dela. Na Igreja actual há demasiada tristeza. Não se cuida da alegria pascal. Dá a impressão de que a fé consiste em aceitar como verdadeiras e reais coisas que não se podem experimentar vitalmente e com alegria. Para muitos, a alegria é algo de secundário e até supérfulo, da qual não é preciso ocupar-se. E, no entanto, sem alegria não é possível amar, lutar, criar ou viver algo de grandioso. Sem alegria é impossível a celebração cristã. A partir da ressurreição, a alegria é, de alguma maneira, «o rosto de Deus no homem»".

 

José António PAGOLA, La llamada de Cristo Resucitado a su Iglesia. Idatz. Donostia 2005.


10
Fev 11
publicado por mpgpadre, às 14:24link do post | comentar |  O que é?

       2 de Fevereiro de 20011. Festa da Apresentação de Jesus no Templo. Tradicionalmente, neste dia celebrava-se a Festa de Nossa Senhora das Candeias, com a bênção das Velas. Actualmente a centralidade é ocupada pela apresentação de Jesus. Na nossa paróquia, tal como no ano anterior, foi oportunidade para festejar com as crianças e adolescentes da catequese... Eis algumas das imagens e dos momentos da Eucaristia, em formato de diaporama, e com a belíssima música do Pe. Marcos, que estará entre nós no próximo dia 18 (de fevereiro):


17
Set 10
publicado por mpgpadre, às 19:41link do post | comentar |  O que é?

       A última e a maior das festas populares do concelho de Tabuaço, é a Festa e Romaria de Pinheiros, em honra de Santa Eufémia. O dia 16 de setembro, em cada ano, traz à paróquia de Pinheiros um mar de gente, para rezar, para agradecer, para cumprir promessas, para invocar a intercessão de Santa Eufémia. O dia seguinte, dedicado a Santa Bárbara é sobretudo para as nossas gentes...

       Veja algumas imagens da festa acompanhadas com a Música do grupo Laetare...


publicado por mpgpadre, às 16:22link do post | comentar |  O que é?

       Com em muitas terras destas bandas, o segundo dia de Festa tem como referência Santa Bárbara. Como dia estava de chuva, a celebração da Santa Missa foi na Igreja (e não na Capela dedicada a Santa Bárbara). No final da Eucaristia, a Procissão.


16
Set 10
publicado por mpgpadre, às 19:17link do post | comentar |  O que é?
       O 16 de Setembro é o grande dia de Festa e Romaria em honra de Santa Eufémia, com a participação de pessoas dos Concelhos de Moimenta da Beira, Armamar e das várias paróquia de Tabuaço. Como manda a tradição, uma priora para abrilhantar ainda mais a festa, este ano a Mariana Silva, filha do Tony, que além de pai de três meninas e marido, é também elemento do Conselho Económico, da Comissão de Festas e acólito dedicado.
       O pregador: Pe. Amadeu da Costa e Castro, natural de Gosende, Castro Daire, Pároco de Trevões, Pereiro, e muitas outras paróquias...
       No momento de Acção de Graças, a homenagem merecida ao reverendo Pe. Luís Ribeiro da Silva, Pároco de Barcos, Adorigo, Santa Leocádia e Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Tabuaço, e durante anos pároco também de Pinheiros (e outras comunidades paroquiais), pelos seus 50 anos de sacerdócio, completados no passado dia 15 de Agosto. A lembrança oferecida foi levada ao altar pelas adolescentes por ele baptizadas.
Algumas imagens:


14
Jul 10
publicado por mpgpadre, às 15:42link do post | comentar |  O que é?
       Aproximadamente meia centena de sacerdotes da Diocese de Lamego, incluído meia dúzia de seminaristas maiores, encontraram-se em convívio sacerdotal no RIO DOURO, na passada segunda-feira, 12 de Julho, apreciando o que Miguel Torga classificou com "Excesso de Beleza". A organização esteve a cargo do Seminário Maior de Lamego. O primeiro ajuntamento, no Seminário Maior, para depois todos se encontrarem no Pinhão. Daqui partimos em Barco até ao Pocinho, e do Pocinho ao Pinhão regressámos de comboio. Ficam algumas imagens e pequenos vídeos, deste convívio sacerdotal, que contou também com a presença do Sr. Bispo, D. Jacinto, do Sr. Vigário Geral.
       Imagens dos sacerdotes e da paisagem deslumbrante das margens do Rio Douro:
       Pequenos vídeos:


07
Mai 10
publicado por mpgpadre, às 09:05link do post | comentar |  O que é?

       O dia da Mãe é sempre um dia especial. Na comunidade paroquial de Tabuaço, como habitual ao longo dos anos, assinalámos o dia com a intervenção da catequese e do grupo coral da catequese, na Missa Dominical, com alguns gestos e interveções, no acto penitencial, no ofertório, no momento de acção de graças. Apresentamos dois vídeos: um com algumas imagens e com a música de fundo da Claudine Pinheiro, e outro com a gravação, feita pelo Sr. Soares, da canção de acção de graças, com as crianças a cantar junto ao altar...


29
Abr 10
publicado por mpgpadre, às 11:02link do post | comentar |  O que é?

       Há um encanto particular na preparação de grandes festas. A vinda de um Papa ao nosso país não foge à regra e é por isso compreensível que se multipliquem, por estes dias, notícias, comentários e explicações sobre tudo o que está a ser feito para acolher Bento XVI.

       Como é natural, todos estes momentos são vividos à flor da pele, as forças são poucas para uma tarefa que parece tão grande, tudo é feito com a intenção de impressionar positivamente um visitante tão importante para quem faz da fé católica o seu modo de vida. Afinal, estamos na presença de um líder espiritual, que tem um papel especial na vida de milhões de pessoas, entre nós, por mais discordâncias que o seu estilo próprio possa gerar.

       A forma como tudo está a ser preparado deixa adivinhar já um clima de festa, de celebração, à margem do confronto. Mesmo as habituais manobras publicitárias de quem procurar atenção à custa de uma figura maior – prática que vai alastrando, com a conivência de quem faz a informação que chega até cada um de nós – não passam de notas de rodapé numa história que se escreve para o hoje e também para o futuro. Um futuro em que o essencial resistirá à poeira dos que só sacodem os pés no chão, sem preocupação em olhar para o que nos ultrapassa, lá no alto.

       Admite-se que neste clima de festa, até pela cultura mediática em que hoje vivemos, haja uma predominância do sentimento e do que é epidérmico, a respeito da viagem do Papa. Percebe-se, também, que se haja alturas em que se esquece o facto de estarmos na presença de um pensador - comparado pelo Patriarca de Lisboa a um corredor de fundo - que não se preocupa tanto com a velocidade do momentâneo, mas com o plano que definiu para chegar à meta.

       A presença de Bento XVI, como festa e como desafio à reflexão, é uma interpelação para todos, crentes ou não, desde que se assuma um clima sério de discussão, de debate, abandonando estereótipos e preconceitos. Muito do que ele disse e escreveu está ainda por descobrir e descodificar: numa sociedade em mudança, como a nossa, vale a pena perceber o que tem a dizer a figura mais importante da Igreja Católica.

       Por tudo isto, é fundamental que se prepare a vinda do Papa em festa, serena e alegre, com lugar para os que quiserem entrar. E quanto mais honesto for o encontro, mais sentido terá receber entre nós Bento XVI.

Octávio Carmo, Editorial da Agência Ecclesia.


mais sobre mim
Relógio
Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


Visitantes
comentários recentes
O mundo atual precisa do testemunho cristão. Livro...
Saudações fraternas. Claro que sim. Ao longo da Su...
Caríssimo, no texto que comento, anuncia a experiê...
Sofres do síndrome de última bolacha do pacote
Quero agradecer por essa linda história e texto po...
Gostei da trilogia.http://numadeletra.com/1q84-liv...
Olá!Caí neste comentário acerca deste último livro...
http://numadeletra.com/41791.html
também gostaria de o conhecer pessoalmente acho in...
Bom dia. Alguns elementos para o ofertório estão v...
Bom dia. Sou catequista na minha paróquia e estamo...
Mais uma vez, muitos parabéns por nos dar este bel...
Eu já sabia que não devemos menosprezar nunca o po...
Bom dia. Eu é que agradeço, pela presença, pelo in...
Bom dia Padre Manuel! É sempre com muito agrado qu...
arquivos
Pinheiros - Semana Santa
- 29 março / 1 de abril de 2013 -
Tabuaço - Semana Santa
- 24 a 31 de abril de 2013 -
Estrada de Jericó
pesquisar neste blog
 
Velho - Mafalda Veiga
Festa de Santa Eufémia
Pinheiros, 16/17 de setembro de 2012
Primeira Comunhão 2013
Tabuaço, 2 de junho
Papa Bento XVI
Profissão de Fé 2013
Tabuaço, 19 de maio
subscrever feeds
blogs SAPO