...espaço de discussão, de formação, de cultura, de curiosidades, de interacção. Poderemos estar mais próximos. Deus seja a nossa Esperança e a nossa Alegria...
01
Fev 13
publicado por mpgpadre, às 10:00link do post | comentar |  O que é?

       Ao completar o primeiro ano à frente da Diocese de Lamego, D. António Couto proferiu uma conferência sobre a correlação Fé e Ciência. No passado dia 28 de janeiro, no Centro Pastoral de Almacave... A entrada na Diocese foi há um ano, no dia 29 de janeiro de 2012.

 


13
Fev 12
publicado por mpgpadre, às 10:59link do post | comentar |  O que é?

       Num dia em que o vento gelado se fazia sentir com especial intensidade, não faltou o calor humano na festa de Nossa Senhora de Lourdes, Padroeira do Seminário Menor de Resende.

       A este Seminário, onde estudam 17 alunos, que procuram discernir a sua vocação, deslocou-se o Sr. D. António Couto, novo Bispo da Diocese de Lamego, onde chegou quando passavam poucos minutos das 10h00. À sua espera estavam os membros da Equipa Formadora do Seminário (P. António José Ferreira, Vice-Reitor; P. Miguel Peixoto, Formador; P. João Carlos Morgado, Director Espiritual; e P. José Manuel Correia, que ali colabora), seminaristas, quer de Resende, quer do Seminário Maior de Lamego, com os seus familiares, vários sacerdotes, membros da Associação dos Antigos Alunos dos Seminários da Diocese de Lamego, funcionários do Seminários e alguns benfeitores. Também marcou presença o ilustre Presidente da Câmara Municipal de Resende, Dr. António Borges, o Sr. D. Jacinto Botelho, Bispo emérito da Diocese de Lamego e o Sr. D. António José Rafael, Bispo emérito da Diocese de Bragança-Miranda, que, no passado, exerceu o seu ministério sacerdotal como Vice-Reitor do Seminário de Resende.

 

       A manhã foi preenchida pela saudação de boas vindas do P. António José a todos os presentes. Seguiram-se umas breves palavras de apresentação do Sr. D. António Couto proferidas pelo seu antecessor, Sr. D. Jacinto.

       Tomou, depois, a palavra o Sr. D. António Couto, para falar do tema que anima o ano escolástico no Seminário de Resende: “Aprender com Maria a viver com Jesus”. Depois de saudar os presentes, o Bispo de Lamego propôs aos presentes uma reflexão sobre Maria, usando três imagens, ou ícones: o primeiro ícone, Maria como escutadora da Palavra; o segundo, Maria como olhada amorosamente por Deus; o terceiro, Maria como bem aventurada que vai à frente a abrir novos caminhos. “Ao longo da história, não foram os políticos nem os intelectuais quem abriu caminhos novos: foram os pobres e os santos aqueles que trilharam novos rumos de santidade”, afirmou.

       Em todas as imagens que apresentou, recorrendo a passagens, quer do Antigo, quer do Novo Testamento, o Sr. D. António procurou mostrar como o Seminário pode e deve ser o lugar onde, seguindo o exemplo de Maria, os seminaristas devem aprender a abrir caminhos novos, abrindo-se às pessoas num abraço terno e alegre.

       O ponto alto da celebração ocorreu com a celebração da Eucaristia, presidida pelo Sr. D. António e concelebrada pelo Sr. D. Jacinto, pelo Sr. D. António Rafael, pelo Mons. Joaquim Dias Rebelo, Vigário Geral da Diocese e com cerca de duas dezenas de sacerdotes.

 

       Na homilia, o Sr. D. António, no comentário às leituras do dia, referindo-se a Maria como aquela que guardava todas as palavras, compondo-as no seu coração. “Mulher bela, entretida com a Música divina, ela soube ouvir para depois espalhar essa melodia divina nos caminhos que percorreu”, afirmou o Prelado lamecense.

       Seguiu-se o almoço para todos os presentes, o qual foi o prelúdio da tarde de convívio que fechou a festa da padroeira do Seminário de Resende.

 

Galeria fotográfica »»

 Diocese de Lamego – Gabinete de Imprensa


02
Fev 12
publicado por mpgpadre, às 17:00link do post | comentar |  O que é?

       O filme completo - em formato de diaporama, com as fotos da Kymagem - da tomada de posse de D. António Couto, como Bispo de Lamego, no passado dia 29 de janeiro. A produção é da Diocese de Lamego:


30
Jan 12
publicado por mpgpadre, às 15:35link do post | comentar |  O que é?

       Nomeado pelo Papa Bento XVI, no passado dia 19 de novembro de 2011, D. António José da Rocha Couto assumiu ontem, dia 29 de janeiro, a cátedra de Lamego, sucedendo a D. Jacinto Tomás de Carvalho Botelho, que esteve à frente da diocese durante 12 anos. D. Jacinto tomou ao seu encargo a diocese em 19 de março de 2000. Tendo completado 75 anos de idade em 11 de setembro de 2010, pediu a resignação, que foi aceite pelo Papa, mantendo-se, depois da aceitação da resignação, como Administrador Apostólico da diocese.

         A cidade de Lamego encheu-se de cor e sobretudo de cristãos para acolher o seu novo Bispo.

       Pelas 15h30, D. António, recebido pelo Administrador Apostólico, pelo Mons. Vigário-Geral e pelo Presidente  da Câmara Municipal de Lamego, no Seminário Maior de Lamego, segue no carro da Diocese até à Sé Catedral. Aqui é recebido por uma multidão em festa. À entrada para a Sé é saudado pelo Deão do Cabido e pelo Sr. Presidente da Câmara de Lamego.

       Pelas 16h00 o início da celebração eucarística. D. Jacinto presidiu à Procissão de entrada. Depois da saudação inicial, a Bula de Nomeação foi lida pelo Núncio Apostólico em Portugal e o Sr. D. Jacinto cedeu o lugar da presidência ao Sr. D. António, dirigindo-lhe algumas palavras de passagem de testemunho, como Bispo cessante e como diocesano (lembremos que D. Jacinto é natural da Diocese de Lamego e pertence ao presbitério desta diocese). A partir do momento em que assume a presidência da celebração, D. António passa também a presidir como Pastor à Diocese de Lamego.

        Presentes na tomada de posse, os Bispos de Portugal, muitos sacerdotes de Lamego, do Porto, de onde D. António é natural (Marco de Canaveses), de Braga, onde esteve nos últimos 4 anos como Bispo Auxiliar, dos Missionários da Boa Nova, autoridades civis da cidade e da diocese, muitos cristãos. A Sé Catedral foi pequena para acolher tanta gente. Muitas pessoas acompanharam a celebração em frente à Sé através dos plasmas aí colocados para este efeito.

        Na Homilia, partindo do Evangelho e da manifestação de Jesus em Cafarnaum, D. António deixou claro que o mensageiro, o enviado, mais que a mensagem comunica Aquele que O envia...

       Quase a terminar a celebração, a leitura da ATA de tomada de posse, pelo Chanceler da Cúria, Mons. Germano José Lopes.

       Também de Tabuaço um grupo de pessoas, associando-se assim a esta passagem de testemunho, do D. Jacinto para o D. António.

       Como cristãos, pedimos a Deus que esteja com o D. António e com as Suas preocupações pastorais. O Bispo é e referência de comunhão com Jesus Cristo, com as outras dioceses e seus bispos e com o Papa, sucessor de Pedro.

Fotos: KYMAGEM. Poderá ver mais fotos AQUI (também da Kymagem)


publicado por mpgpadre, às 14:30link do post | comentar |  O que é?

 

(foto: Kymagem)

 

       «Eis que faço novas todas as coisas» (Apocalipse 21,5), diz Deus. De tal modo novas, diz Deus, que ninguém pode dizer: «Já o sabia» (Isaías 48,7).

 

       Eis então Jesus a entrar com os seus discípulos em Cafarnaum, na sinagoga deles, e ensinava e ordenava tudo de forma nova. Tão nova que inutilizava todas as comparações e catalogações. Não era membro de nenhuma confraria, academia, partido, ordem profissional ou instituição, que à partida lhe conferisse algum crédito, alguma autoridade. Nenhum crédito, nenhum currículo, nenhum diploma, o precedia. A sua autoridade começava ali, no próprio acto de dizer ou de fazer. E as pessoas de Cafarnaum foram tomadas de tanto espanto, que tiveram de constatar logo ali que saía dos seus lábios e das suas mãos um mundo novo, belo e bom, ordenado segundo as pautas da Criação. Um vendaval manso de graça e de bondade encheu Cafarnaum, e transvazava como um perfume novo de amor e de louvor por toda a região da Galileia e da missão. Saltava à vista que Cafarnaum não podia conter ou reter tamanha vaga de perfume e lume novo.

       As pessoas de Cafarnaum sabiam bem o que diziam os escribas, e como diziam os escribas. Não eram senão repetidores, talvez mesmo apenas repetentes de pesadas e cansadas doutrinas que se arrastavam na torrente de uma velha e gasta tradição. Os escribas diziam, diziam, diziam, recitavam o vazio (Salmo 2,1), compraziam-se na sua própria boca, nas suas próprias palavras (Salmo 49,14), e nada, nada, nada acontecia: nenhum calafrio na alma, nenhum rio nascia no deserto, ninguém estremecia ou renascia. Mas Jesus começou a falar, e as pessoas de Cafarnaum sentem um frémito, um estremecimento novo (Isaías 66,2 e 5), assalta-as uma comovida emoção, uma lágrima de alegria lhes acaricia o coração. Era como se acabassem de escutar aquela palavra única que há tanto tempo se procura, palavra criadora que nos vai direitinha ao coração, a ternura de quem leva uma criança pela mão!

        As pessoas de Cafarnaum sabiam bem o que eram, e como se faziam os exorcismos. Estavam muito em voga naquele tempo. Eram longos, estranhos, complicados, cheios de fórmulas mágicas e ritos esotéricos. Mas Jesus diz uma palavra criadora: «Cala-te e sai desse homem», e tudo fica de imediato resolvido!

       Abre-se um debate. O primeiro de muitos que o Evangelho de Marcos vai abrir. «O que é isto?», perguntam as pessoas de Cafarnaum, que nunca tinham visto tanto e tão novo e tão prodigioso ensinamento.

       Mas é apenas o começo da jornada deste maravilhoso ANUNCIADOR do Evangelho de Deus (Marcos 1,14). Logo a abrir o seu Evangelho, Marcos ensina-nos que a jornada iniciada naquele primeiro sábado em Cafarnaum salta os clichés habituais, e vai de madrugada a madrugada, de modo a deixar já bem à vista aquela outra sempre primeira madrugada da Ressurreição! Jesus começa de manhã na sinagoga; caminha depois 30 metros para sul, e entra, pelo meio-dia, na casa de Pedro e levanta da febre para o serviço do Evangelho a sogra de Pedro; à tardinha, já sol- posto, primeiro dia da semana, toda a cidade de Cafarnaum está reunida diante da porta daquela casa, para ouvir Jesus e ver curados por Ele os seus doentes; de madrugada, muito cedo, Jesus sai sozinho para rezar, e os discípulos correm a procurá-lo para o trazer de volta a Cafarnaum, pois, dizem eles, todas as pessoas o querem ver e ter. Ninguém o quer perder.

       Desconcertante reviravolta. Jesus diz aos seus discípulos atónitos: «VAMOS a outros lugares, às aldeias vizinhas, para que TAMBÉM ali ANUNCIE (kêrýssô) o Evangelho» (Marcos 1,38). Com este grávido dizer, Jesus deixa claro que ANUNCIAR o Evangelho enche por completo o seu programa e o seu caminho. Com aquele «vamos» [«vamos a outros lugares»], Jesus desinstala e agrafa a si os seus discípulos para este trabalho de ANÚNCIO do Evangelho seja a quem for, seja onde for. Com aquele «também» inclusivo [«para que também ali anuncie o Evangelho»], Jesus classifica como ANÚNCIO do Evangelho todos os afazeres da inteira jornada de Cafarnaum: ensinar, libertar, acolher, curar, recriar: é esta a toada do ANÚNCIO do Evangelho. ANUNCIAR (kêrýssô) é então o afazer de Jesus. E qual é a primeira nota que soa quando Jesus se diz com o verbo 

       ANUNCIAR? É, sem dúvida, a sua completa vinculação ao Pai, de quem é o arauto, o mensageiro, o ANUNCIADOR. Pura transparência do Pai, de quem diz e faz o que ouviu dizer (João 7,16-17; 8,26.38.40; 14,24; 17,8) e viu fazer (João 5,19; 17,4). Recebendo todo o amor fontal do Pai, bebendo da torrente cristalina do amor fontal do Pai (Salmo 110,7; cf. 1 Reis 17,4), Jesus, o Filho, é pura transparência do Pai, e pode, com toda a verdade dizer a Filipe: Filipe, «quem me vê, vê o Pai» (João 14,9). É mesmo aqui que reside a sua verdadeira AUTORIDADE e a verdadeira NOVIDADE do seu MODO novo de dizer e de fazer, que se chama ANUNCIAR.

       A primeira nota de todo o ANUNCIADOR ou Arauto ou Mensageiro não assenta na capacidade deste, mas na sua fidelidade Àquele que lhe confia a mensagem que deve anunciar. É em Seu nome que diz o que diz, que diz como diz. No Enviado é o Rosto do Enviante que se deve ver em contra-luz ou filigrana pura. No Enviado ou Mensageiro ou Anunciador é verdadeiramente Deus que visita o seu povo.

       Pertinho de Deus, cheio de Deus, Jesus leva Deus aos seus irmãos. É esta a Autoridade de Jesus. Ele é o profeta «como Moisés», mais do que Moisés, com a boca repleta das palavras de Deus (Deuteronómio 18,18). E não só a boca, mas também as mãos e o coração. Bem diferente dos escribas e dos falsos profetas e do povo rebelde no deserto. Estes dispensam a Palavra de Deus. O que querem ter na boca é pão e carne. O que recolheu menos, no deserto, diz-nos o extraordinário relato do Livro dos Números 11,31-35, recolheu 4500 kg de carne de codorniz. E começaram a meter a carne à boca com tamanha avidez, que morreram de náusea. Foram encontrados mortos, ainda com a carne entre os dentes, por mastigar (Números 11,33). Vê-se que é urgente libertar o coração, as mãos, a boca. Vive-se da Palavra. Morre-se de náusea.

 

  (foto: Kymagem)

 

        Caríssimos irmãos mais pequeninos, jovens amigos, caríssimos pais, caríssimos idosos e doentes, caríssimos catequistas, acólitos, leitores, cooperadores na missão da evangelização e da caridade, ilustres autoridades, caríssimos seminaristas, caríssimos religiosos e religiosas, caríssimos diáconos e sacerdotes, Senhores Bispos, Senhor D. Jacinto, Senhor Núncio Apostólico, Senhor Cardeal Patriarca, e todos vós que comigo pisais hoje este chão de generoso vinho e de amendoeiras em flor.

 

 

 (foto: Kymagem)

 

       Numa página sublime do Livro dos Números (17,17-26), Deus ordena a Moisés que recolha as varas de comando dos chefes das doze tribos de Israel, para, de entre eles, escolher um que exerça o sacerdócio em Israel. Em cada vara foi escrito o nome da respectiva tribo. Por ordem de Deus, o nome de Levi foi substituído pelo de Aarão. As doze varas foram colocadas, ao entardecer, na presença de Deus, na Tenda do Encontro. Na manhã seguinte, todos puderam ver que da vara de Aarão tinham desabrochado folhas verdes, flores em botão, flores abertas e frutos maduros (Números 17,23). Dos frutos é dito o nome: amêndoas! Vara de amendoeira em flor e fruto, que, por ordem de Deus, ficará para sempre na sua presença, diante do Propiciatório (cf. Hebreus 9,4), entre Deus e o povo, para impedir que o pecado do povo chegue a Deus, e para facilitar que o perdão de Deus chegue ao povo. Já ninguém estranhará agora que o candelabro (menôrah) que, noite e dia,/ ardia/ na presença de Deus, estivesse ornamentado com flores de amendoeira (Êxodo 25,31-35; 37,20-22). E também já ninguém estranhará que a tradição judaica tardia refira que a vara do Messias havia de ser de madeira… de amendoeira.

       Aí estão as coordenadas exactas do lugar do sacerdote e do bispo: entre Deus e o povo. Mais concretamente: pertinho de Deus, mas de um Deus que faz carícias ao seu povo, um Deus que ama e que perdoa; pertinho do povo, o suficiente para lhe entregar esta carícia de Deus.

       Queridos filhos e irmãos, pais e mães que Deus me deu nesta dorida e querida Diocese de Lamego. Quero muito ver o vosso rosto. Já sabeis que trago notícias de Deus. E que conto muito com cada um de vós, para levar a todos os lugares e a todas as pessoas desta bela Diocese este vendaval de graça e de bondade que um dia Jesus desencadeou em Cafarnaum.

 

       Seja Louvado Nosso Senhor Jesus Cristo!

 

+ António Couto, Bispo de Lamego


29
Jan 12
publicado por mpgpadre, às 16:00link do post | comentar |  O que é?

       No próximo dia 29 de janeiro, tomará posse, como Bispo de Lamego, o Sr. D. António Couto, que desempenhava as funções de Bispo auxiliar de Braga, e cuja nomeação foi feita pelo Santo Padre Bento XVI no passado dia 19 de novembro.

       Para preparar este evento, o Secretariado Diocesano da Pastoral Juvenil da Diocese de Lamego levou a efeito, no dia 21 de Janeiro, pelas 21 horas, uma vigília de oração, na Igreja Catedral, e no dia 28, pelas 21 horas, realizar-se-á também um concerto de Rão Kyao no Centro Paroquial de Almacave. 

       No dia 29 de janeiro, o Sr. D. António Couto será recebido junto do Seminário Maior pelo Sr. D. Jacinto Botelho e pelo Sr. Eng. Francisco Lopes, Presidente da Câmara Municipal de Lamego.

       Mais tarde, pelas 16 horas, terá início a procissão de entrada, que começará nos claustros da Igreja Catedral, a que se seguirá o Solene Pontifical da tomada de posse.

       O Sr. D. António Couto sucede ao Sr. D. Jacinto Botelho que pediu a renúncia do cargo pelo facto de ter completado 75 anos de idade, cargo esse que desempenhou ao longo de 12 anos e do qual foi empossado em 19 de Março de 2000.

       Um facto curioso: o primeiro Padre a ser ordenado, na Diocese, pelas Suas mãos, em 8 de Julho de 2000, foi o atual Pároco de Tabuaço, Pe. Manuel Gonçalves.

       Ao Sr. D. Jacinto Botelho agradecemos o afeto, a amizade, o carinho e a dedicação com que sempre nos presenteou ao longo do seu intenso ministério episcopal.

       Ao Sr. D. António Couto damos, desde já, as boas vindas e pediremos a Deus nas nossas orações pela sua pessoa e pela sua missão, com a certeza de que o acolheremos com alegria, e, como disse D. Jacinto Botelho, «o receberemos com júbilo, numa manifestação de Fé e de comunhão.»

 

Clara Castro, Boletim Voz Jovem, janeiro 2012


27
Jan 12
publicado por mpgpadre, às 10:49link do post | comentar |  O que é?

       Foram vários os momentos em que D. Jacinto (que passará a ser Bispo Emérito de Lamego no próximo dia 29 de janeiro, dia da tomada de posse de D. António Couto, novo Bispo de Lamego) passou por diversas ocasiões neste espaço pastoral, de Tabuaço, Távora, Pinheiros e Carrazedo. De Carrazedo não temos connosco imagens, mas em jeito de homenagem ficam algumas das imagens que recordam diversas ocasiões em que D. Jacinto nos visitou, para estar, para rezar connosco, para celebrar os Sacramwntos...


26
Nov 11
publicado por mpgpadre, às 14:21link do post | comentar |  O que é?

       Aí está mais um boletim VOZ Jovem disponível nos diversos formatos. Neste mês de novembro, o boletim é dedicado à nomeação de D. António José da Rocha Couto, para Bispo de Lamego, sucedendo a D. Jacinto Tomaz de Carvalho Botelho. No boletim poder-se-ão encontrar as mesnagens de D. António Couto e de D. Jacinto, bem como uma resenha biográfica do novo Bispo de Lamego. Como em números anteriores, espaço para as atividades próprias da comunidade paroquial de Tabuaço, com a reflexão bíblica n' "Olhar  de um jovem", as notícias da participação dos jovens no retiro para preparar o Advento, em Armamar, e do magusto paroquial da catequese, bem assim como outras informações para a comunidade.

       O Boletim poderá ser lido a partir da página da paróquia de Tabuaço, ou fazendo o download:


21
Nov 11
publicado por mpgpadre, às 10:52link do post | comentar |  O que é?

       Ontem, a partir das 16h00, na Sé Catedral, 135 anos depois da Dedicação da mesma, Dia da Igreja Diocesana, solenidade de Jesus Cristo Rei do Universo, o Administrador Apostólico da Diocese de Lamego, D. Jacinto Botelho, um dia depois de conhecer o Seu sucessor, D. António Couto, presidia à Eucaristia solene com a Ordenação de mais um Diácono em ordem ao sacerdócio ordenado: Ricardo Jorge Ribeiro Barroco.

 

Pontos de contacto:

       Durante a celebração de ordenação do novo Diácono Ricardo, lembramo-nos de alguns pontos de contacto importantes, pelo menos para nós.

       A naturalidade é a mesma: PENUDE. Nascemos e fomos baptizados na paróquia de Penude.

       O Ricardo, ainda muito novo foi viver para Magueija. Entre os 2 e os 10/11 anos também vivi em Magueija e aí frequentei a Escola Primária (no Cabeço). Nessa altura, já andava no ciclo, regressei à minha povoação, Matancinha, em Penude. Ele permaneceu em Magueija.

       O Ricardo pertence a uma família - os Barrocos - a que também eu tenho ligações, parentes afastados. Quando era pequeno, diziam aos meus pais que eu saía à parte dos barrocos.

       Saliente-se também que o Ricardo tem um primo sacerdote, o Pe. Horácio Rossas, Comboniano e que se encontra atualmente na Zâmbia, em missão.

       No meu estágio pastoral, no Seminário Menor de Resende, como Diácono, na Equipa Formadora, encontrei o Ricardo Barroco, aluno do 8.º ano e depois do 9.º ano, juntamente com outros que hoje são sacerdotes, como o Pregador da novena da Imaculada Conceição, o Pe. António Giroto, aliás, são do mesmo ano.

       Atualmente e desde há 11 anos ao serviço de paróquias no Arciprestado/Concelho de Tabuaço, e o Ricardo Barroco, integrando a Equipa Sacerdotal do Pe. Amadeu e do Pe. Filipe, estagia em algumas paróquias deste Arciprestado: Valença do Douro, Desejosa (com a anexa da Balsa) e Pereiro.


19
Nov 11
publicado por mpgpadre, às 11:05link do post | comentar |  O que é?

       Foi nomeado pelo Papa Bento XVI como Bispo titular da Diocese de Lamego, sucedendo a D. Jacinto Botelho, que aguardava há mais de um ano pela nomeação do seus Sucessor à frente dos destinos da Diocese.

       A 2 de Outubro de 1963 entrou no Seminário de Tomar, da Sociedade Portuguesa das Missões Ultramarinas, hoje Sociedade Missionária da Boa Nova.

       Recebeu a ordenação sacerdotal em Cucujães, em 3 de Dezembro de 1980.

       Os primeiros anos de sacerdócio foram vividos no Seminário de Tomar, acompanhando os alunos do 11.º e 12.º anos. No ano lectivo de 1981-1982 foi Professor de Educação Moral e Religiosa Católica na Escola de Santa Maria do Olival, em Tomar.

       Em 1982 fez o curso de Capelães Militares, na Academia Militar, e foi nomeado capelão militar do Batalhão de Serviço de Material, do Entroncamento, e, pouco depois, também da Escola Prática de Engenharia, de Tancos.

       Transferiu-se depois para Roma, para a Pontifícia Universidade Urbaniana, onde, em 1986, obteve a licenciatura canónica em Teologia Bíblica. Na mesma Universidade obteve, em 1989, o respectivo Doutoramento, depois da permanência de cerca de um ano em Jerusalém, no Studium Biblicum Franciscanum. 

       No ano lectivo de 1989-1990 foi professor de Sagrada Escritura no Seminário Maior de Luanda. 

Regressou então a Portugal, e foi colocado no Seminário da Boa Nova, de Valadares, com o encargo da formação dos estudantes de teologia.

       É professor da Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa, núcleo do Porto, desde o ano lectivo de 1990-1991. De 1996 a 2002 foi Reitor do Seminário do Seminário da Boa Nova, de Valadares. Foi também Vigário Geral da Sociedade Missionária da Boa Nova (SMBN) de 1999 a 2002, ano em que foi eleito Superior Geral da mesma Sociedade Missionária da Boa Nova, cargo que ocupou até à data da sua Ordenação Episcopal, em 23 de Setembro de 2007.

       A SMBN é composta por sacerdotes diocesanos e leigos que se consagram à evangelização. Surgida em Portugal em 1930, dedica-se à evangelização ad gentes em Moçambique (desde 1937), Angola (desde 1970), Brasil (desde 1970), Zâmbia (desde 1980) e Japão (desde 1998).

       Em 2004, João Paulo II nomeou-o membro da Congregação para a Evangelização dos Povos.

       D. António Couto é colaborador do Programa ECCLESIA (RTP2), da Igreja Católica, tendo colaborado regularmente desde 2003, na sua qualidade de biblista.

 

       É autor dos seguintes livros: Até um dia (poemas) 1987; Raízes histórico-culturais da Vila Boa do Bispo (1988); A Aliança do Sinai como núcleo lógico-teológico central do Antigo Testamento (tese de doutoramento), 1990; Como uma dádiva. Caminhos de antropologia bíblica, 2002 (2.ª edição revista em 2005); Pentateuco. Caminho da vida agraciada, 2003 (2.ª edição revista, 2005). E também autor de inúmeros artigos em enciclopédias, colectâneas e revistas.

       É também presença habitual na Internet, no site www.boanova.pt, onde apresenta reflexões pessoais e estudos sobre a Bíblia.

 

Data Nascimento: 18 de Abril de 1952. 

Naturalidade: Vila Boa do Bispo, Marco de Canaveses, Porto 

Ordenação Sacerdotal: 3 de Dezembro de 1980, em Cucujães. 

Nomeação episcopal: 6 de Julho de 2007, para Bispo Auxiliar de Braga.Ordenação Episcopal: 23 de Setembro de 2007, no Seminário das Missões, Cucujães, Oliveira de Azeméis.

Nomeação para Bispo de Lamego: 19 de Novembro de 2011.

 

Fonte principal: Anuário Católico.

Ser cristão é ser missionário:


07
Nov 11
publicado por mpgpadre, às 10:30link do post | comentar |  O que é?

De 6 a 13 de Novembro decorre, como nos anos transactos, a Semana dos Seminários.

       Ela terá na nossa diocese este ano um particular significado, atendo à celebração jubilar da inauguração do novo edifício do Seminário Maior, realização dum sonho alimentado ao lon­go de gerações, depois do esbulho realizado pelo Governo a seguir à proclamação da República.

       Como há cinquenta nos testemunhou o Senhor D. João, o grande Prelado do empreendi­mento, aquela construção foi um milagre da Providência. Poderemos dizer que fruto da Graça é toda a missão que o Seminário ao longo dos anos vem desenvolvendo no serviço da formação dos novos sacerdotes. Tem todo o sentido a aplicação da Palavra da Escritura: Se o Senhor não edificar a Sua casa, em vão trabalham os que a constroem.

       Por isso voltamos a pedir-vos a riqueza da vossa oração, lembrando a recomendação de Jesus: Rezai ao Senhor da Messe para que envie operários para a Sua seara. Recordemos o pensamento que Sua Santidade, Bento XVI, escreveu no seu livro Jesus de Nazaré: “O chama­mento dos discípulos é um acontecimento de oração – são por assim dizer gerados na oração, na intimidade com o Pai. […] Os trabalhadores da messe de Deus não se podem escolher sim­plesmente como um empresário procura os seus operários: mas devem ser pedidos a Deus, e por Ele mesmo serem escolhidos para este serviço.” 

       Sabemos como sempre a piedade da oração é sumamente valorizada com o sacrifício voluntário, nomeadamente quando ele é expressão do esforço da conversão que nos é pedida, para garantir a autenticidade de cristãos.

       Contamos convosco, caríssimos diocesanos, com a solicitude das vossas preces e da vos­sa mortificação. Não podemos dispensar a caridade desta comunhão. Tomai consciência que os seminários são vossos, são casas que vos pertencem e as suas equipas formadoras e os nossos seminaristas ficam contentes com a vossa visita, sinal do vosso carinho e da vossa solidariedade.

       Há cinquenta anos, no discurso da inauguração, sublinhou o Senhor D. João os grandes sacrifícios pedidos aos cristãos da Diocese e a sua exemplar generosidade. Sempre os seminá­rios se mantiveram com a caridade dos fiéis. Num tempo tão difícil como o que vivemos e ex­perimentamos, limitadíssimos nas economias, compreendereis que a vossa esmola, muito mais sacrificada, dadas as circunstâncias, é particularmente necessária, mas, como o óbolo da viúva, provocará a resposta gratificante do Senhor que se não deixa vencer em misericórdia.

       Que Jesus, Maria, Senhora de Lurdes, Ana e José, padroeiros dos nossos seminários, os abençoem e cubram com a sua protecção todos os fiéis da Diocese de Lamego.

 

+ Jacinto Tomaz de Carvalho Botelho, Bispo de Lamego


19
Jul 11
publicado por mpgpadre, às 12:05link do post | comentar |  O que é?

       Aí está mais uma edição do Boletim Paroquial VOZ JOVEM. Em formato de papel, distribuído gratuitamente no final das Eucaristias de fim de semana, e aqui em formato virtual, à disposição de todos os que acharem por bem acederem-lhe.

       Neste mês de Julho, destacamos alguns dos acontecimentos que marcaram o ritmo pastoral do mês de Junho, mormente a celebração da Primeira Comunhão, na solenidade de Corpo de Deus, no dia 23 de junho, e o Sacramento da Confirmação, no dia 19 de Junho. Há depois os temas habituais, do editorial - o poder curativo que há em nós - e o Olhar de um Jovem, sobre a Esposa de Isaac, bem como outras informações respeitantes à comunidade paroquial.

       O Boletim poderá ser lido a partir da página da paróquia de Tabuaço, ou fazendo o download:


06
Jul 11
publicado por mpgpadre, às 10:21link do post | comentar |  O que é?

       Nove jovens adolescentes da nossa comunidade paroquial de Tabuaço, que completaram 10 anos de catequese, celebraram o Sacramento da Confirmação, no passado dia 19 de Junho, conforme oportunamente aqui foi informado. Algum tempo passado colocamos hoje um vídeo que acolhe diversas fotos com variados momentos da celebração.


21
Jun 11
publicado por mpgpadre, às 21:11link do post | comentar |  O que é?

       O Boletim da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição reflecte, como é óbvio, o que vai acontecendo na comunidade, celebrações, actividades diversas, encontros, reuniões. Neste mês de Junho, um pouco à semelhança do mês passado, ocupam um lugar especial as festas da cateques, da Palavra, da Profissão de Fé e da celebração do Sacramento da Confirmação, com a presença do Sr. Bispo, D. Jacinto Botelho. Mas há outros motivos de interesse, a Peregrinação Nacional das Crianças a Fátima, no passado dia 10 de junho, e o Futsal de Saltos Altos. De fora outros momentos em que a paróquia esteve envolvida, directa ou indirectamente, a XXVI Jornada Diocesana da Juventude, no Touro, em Vila Nova de Paiva, no dia 28 de Maio, o torneiro de Futsal Fair Play, para rapazes, que se realizou em Tabuaço, no dia 11 de junho, e ainda o acampamento das Guias e escuteiros da Europa, em Ourém. Sempre incluído, as informações paroquiais e a reflexão bíblica, em "O Olhar de um Jovem".

       O Boletim poderá ser lido a partir da página da paróquia de Tabuaço, ou fazendo o download:


21
Mar 11
publicado por mpgpadre, às 15:58link do post | comentar |  O que é?
       No dia 19 de Março, solenidade de São José, foi ordenado mais um sacerdote na nossa Diocese de Lamego, o Tiago Cardoso. Aqui ficam algumas imagens que testemunham este momento importante para o próprio, para a família e para a diocese.
Veja o desenvolvimento da notícia no blogue da Diocese de Lamego.


17
Mar 11
publicado por mpgpadre, às 14:59link do post | comentar |  O que é?

       D. Jacinto Tomaz de Carvalho Botelho, Bispo de Lamego, esteve em Visita Pastoral a Távora, concretamente nos dias 3 e 6 de fevereiro deste ano de 2011. No dia 3, visitou a Escola do 1.º Ciclo de Távora e reuniu com as pessoas mais ligadas ao trabalho pastoral, dos vários grupos paroquiais. No dia 6, o Sr. Bispo presidiu à Eucaristia, que incluía o Sacramento da Confirmação de 10 jovens da comunidade paroquial. Estas são algumas das imagens, com a música de fundo de Carlos Marques, da Comunidade Shalom.


14
Mar 11
publicado por mpgpadre, às 17:45link do post | comentar |  O que é?

       Na recente Mensagem para a Quaresma deste ano, recorda-nos Sua Santidade Bento XVI, a todos nós, cristãos - partindo do pensamento de S. Paulo na Carta aos Colossenses: sepultados com Ele no Baptismo, foi também com Ele que ressuscitastes - o que frequentemente meditamos nesta altura, que “um vínculo particular liga o Baptismo com a Quaresma como momento favorável para experimentarmos a Graça que nos salva”. Somos assim convidados a aproveitar este longo Retiro espiritual que a Mãe Igreja nos oferece para consolidarmos reflectidamente e no comportamento a nossa identidade de cristãos.

       A Palavra de Deus tão rica e abundante que a Liturgia propõe à nossa reflexão todos os dias, mas muito especialmente aos Domingos e sobretudo no Ano A, “guia-nos para um encontro particularmente intenso com o Senhor, fazendo-nos repercorrer as etapas do caminho da iniciação cristã: para os catecúmenos, na perspectiva de receber o Sacramento do renascimento, para quem é baptizado, em vista de novos e decisivos passos no seguimento de Cristo e na doação total a Ele”. Cada um saberá aproveitar a oportuna reflexão sobre o Evangelho de cada Domingo que o Santo Padre partilhou connosco na referida mensagem, ajudando-nos a empenharmo-nos seriamente na reconciliação com Deus e com os outros que este itinerário para a Páscoa nos sugere.

       Pela prática tradicional do jejum, esmola e oração, “expressões do empenho de conversão” que realizaremos devotamente, “a Quaresma educa para viver de modo cada vez mais radical o amor de Cristo”. Num ambiente marcado pelo individualismo, a par do desânimo e desencanto que as pessoas deixam transparecer, sem perspectivas a curto prazo de que o panorama se modifique para melhor, antes pelo contrário, a nossa vida de cristãos deverá traduzir um clima lúcido de esperança e serenidade. As práticas quaresmais criam o clima para uma autêntica vivência cristã. Pelo jejum e espírito de sobriedade que com ele se relaciona, com a contenção em despesas às vezes exclusivamente para dar lugar a caprichos sumptuários, contrariamos os apetites do homem velho e abrimos o coração a uma generosidade que nos liberta do egoísmo e nos abre para uma partilha solidária. E o jejum e a esmola, são no dizer de S. Agostinho, “as duas asas da oração”, como referiu Bento XVI na Audiência Geral de 4ª feira de Cinzas, recordando o seu pensamento: “Desta maneira a nossa oração, feita com humildade e caridade, no jejum e na esmola, na temperança e no perdão das ofensas, dando coisas boas e não restituindo as más, afastando-se do mal e realizando o bem, procura a paz e consegue-a. Com as asas destas virtudes voa segura e mais facilmente chega ao céu, onde Cristo, nossa paz, nos precedeu”.

       A celebração bem preparada do sacramento da Confissão e o corajoso cumprimento dos propósitos firmes de emenda, alimentado na recepção frequente da Santíssima Eucaristia, tornar-nos-á verdadeiros e conscientes cristãos pascais que poderão e saberão celebrar devidamente a alegria da Ressurreição do Senhor.

       Que a Mãe do Céu que acompanhou Jesus até ao Calvário e assistiu de pé à Sua Morte na Cruz, nos conduza nesta Quaresma por um caminho de conversão para com Cristo ressuscitarmos também.

       O contributo penitencial deste ano reverterá em favor do Fundo Solidário Diocesano.

 

D. Jacinto Tomaz de Carvalho Botelho, bispo de Lamego.


09
Fev 11
publicado por mpgpadre, às 19:22link do post | comentar |  O que é?

       Veja agora a Visita através de algumas fotos e momentos, com a boa música do Pe. Marcos Alvim: 


08
Fev 11
publicado por mpgpadre, às 18:55link do post | comentar |  O que é?

       No dia de ontem, 6 de Fevereiro, Domingo, a paróquia de Távora esteve em festa, com a Visita Pastoral de D. Jacinto Botelho, que presidiu à Eucaristia que incluía a celebração do Sacramento da Confirmação (Crisma) de 10 jovens: a Carla, a Joana, o Pedro, a Ana Filipa, a Raquel Patrícia, a Vanessa, o João Carlos, o Marcelo, a Daniela, a Beatriz.

       Na passada quinta-feira, 3 de Fevereiro, o Sr. Bispo tinha estado na Escola do Primeiro Ciclo e Jardim Infância, a meio da tarde, e com os grupos paroquias (Conselho Económico, Grupo Coral, Catequistas, Acólitos, Zeladoras da Igreja e dos altares, Leitores) e com os Crismandos.

       O domingo centrou-se no essencial, a celebração da Eucaristia e da Confirmação.

       No início da Eucaristia, uma catequista deu as boas-vindas ao Sr. Bispo com as palavras que se seguem:

 

       "Excelentíssimo e reverendíssimo Sr. Bispo

       Reverendo Pároco

       Cristãos desta nossa comunidade

 

       É com muita alegria, em preito de louvor e acção de graças, que queremos receber Vossa Excelência Reverendíssima, D. Jacinto, como Sucessor dos Apóstolos, como nosso Pastor e Guia, à frente da Diocese de Lamego, à qual pertencemos.

       Há 7 anos atrás, pudemos testemunhar as Sua presença e saborear as suas sábias palavras, no encontro com os grupos paroquiais, com as crianças da escola, na visita aos doentes aquando da Visita Pastoral e posteriormente na inauguração dos trabalhos realizados na Sacristia. A finalizar a Visita Pastoral, por motivos de saúde não se pôde deslocar a Távora, sendo enviado por Vossa Excelência Reverendíssima o então Vigário-Geral, Mons. Eduardo Russo, entretanto na Casa do Pai.

       Hoje está no meio de nós para nos confirmar na Fé, para connosco partilhar o que Lhe vai na alma, para testemunhar, com as suas palavras e com a sua vida, a comunhão a Jesus Cristo – esta vida nova que todos recebemos pela água e sobretudo pelo Espírito Santo, no dia do nosso baptismo. Preside à Eucaristia, como preside a toda a Diocese, para tornar mais sólida a nossa comunhão com a Igreja, para fortalecer a nossa fé, para celebrar festivamente o mistério da Morte e Ressurreição de Jesus, para nos incentivar à caridade, a fim de vivermos como comunidade de irmãos e irmãs em Jesus Cristo.

       Cada comunidade, e a nossa também, é constituída por pessoas, com sensibilidades diferentes, com diferentes qualidades e limitações, com muitos talentos que Deus nos dá, para vivermos em povo. Por vezes, porém, afastamo-nos da fé em Jesus Cristo e cada um caminha por si mesmo, seguindo as suas ideias e preocupações. Como cristãos, devemos e pudemos viver nos mesmos sentimentos de Cristo, alimentando-nos da Sua Palavra e dos Sacramentos que nos deixou, até à vida eterna. Desta forma, não estamos sós. Ele está no meio de nós, caminha connosco, dá-nos o auxílio da Sua graça e da Sua caridade.

       Pedimos ao Espírito Santo, cujos dons recebemos na celebração da Confirmação e que hoje, 10 jovens da nossa comunidade vão receber também, nos dê a humildade para escutarmos o que Jesus Cristo nos quer dizer na pessoa de Vossa Excelência Reverendíssima, nosso Bispo e Pastor, e nos conceda a sabedoria e a audácia para seguirmos com fidelidade e alegria os desígnios de Deus para nós e para a nossa comunidade paroquial.

       São João Baptista, nosso Padroeiro, ilumine a nossa conduta, a nossa vivência cristã, na opção pela verdade e por Deus e que nada nos afaste da fidelidade à Palavra de Deus, acolhida, vivida, amadurecida e celebrada em Igreja, na comunhão com o nosso Pároco e com o nosso Bispo, para assim vivermos em comunhão com toda a Igreja.

       São João Baptista, rogai por nós!"


04
Fev 11
publicado por mpgpadre, às 12:28link do post | comentar |  O que é?

       1 – O ano pastoral em marcha, com a dinâmica sinodal “Repensar a Pastoral da Igreja em Portugal”, auscultando os sinais positivos na Sociedade e na Igreja, provoca a nossa reflexão sobre a vivência cristã no mundo em que vivemos, recolhendo tudo o que de bom existe e fazendo incidir a Luz do Espírito Santo em todas as dimensões da vida pessoal, familiar e social.

       Neste caminho, a presença no nosso Bispo, D. Jacinto Botelho, em Visita Pastoral a todo Concelho/Arciprestado de Tabuaço, torna-se um estímulo e uma oportunidade para reflectir e um desafio ao compromisso de todos os baptizados, potenciando as qualidades na vivência eclesial e no empenho, quanto possível, social, político, associativo.

 

       2 – Vários encontros e celebrações marcaram a Visita Pastoral a Tabuaço. Marcante o encontro com os grupos paroquiais/movimentos eclesiais, em que o senhor Bispo deixou palavras de agradecimento e incentivo.

       O Conselho Económico é como que uma extensão do pároco, tendo a missão de sensibilizar para as iniciativas pastorais, em estreita colaboração com o pároco, fazendo chegar, de forma mais informal, mais longe a mensagem.

       A catequese é um serviço fundamental em que o ensino há-de ser sobretudo testemunho de vida cristã.

       Os grupos corais, devendo zelar pelo bom gosto musical, têm uma missão peculiar de “dar louvor e glória a Deus”, com o seu canto, ajudando a comunidade celebrante a viver melhor a liturgia.

       As Zeladoras da Igreja e dos altares cuidam para que o ambiente bem preparado, a limpeza, a beleza da ornamentação, ajudem no louvor e glória de Deus. “Não há cargos mais ou menos importantes…”, todos juntos na missão de louvar e dar glória a Deus!

Leitores: um trabalho que implica muita atenção, “é preciso preparar sempre a leituras que se fazem… emprestamos a nossa voz, os nossos lábios, ao Senhor”… É preciso ler com cuidado, sem comer as palavras…

       Acólitos: estão num lugar de maior visibilidade, devem exercer o seu ministério com naturalidade e com dignidade.

       Escuteiros (Guias e Escuteiros da Europa) é um grupo extraordinariamente importante para a juventude…

       Ministros Extraordinários da Comunhão, elementos pertencentes à Santa Casa da Misericórdia, cristãos que integram vários grupos paroquiais, todos têm uma missão muito importante na vivência da fé e no testemunho de Jesus Cristo.

       Os agentes de pastoral numa comunidade são como uma locomotiva, põem a máquina em funcionamento. Sem locomotiva as carruagens ficam paradas.

 

       3 – Obviamente que o serviço em Igreja nem sempre é humanamente compensador, desde logo pela exposição às críticas de outros que ainda estão a descobrir que papel desenvolver para que a comunidade seja mais Jesus Cristo.

       Tal como a Igreja, em geral, também as pessoas empenhadas na pastoral da paróquia, partilham alegrias e tristezas, dificuldades e inquietações do tempo que passa...

       A este propósito, o Senhor Bispo sublinhou o voluntariado dentro das comunidades cristãs, agradecendo o trabalho dos vários grupos paroquiais, incentivando a “encarar as dificuldades não com desalento, mas com esperança”…

 


24
Dez 10
publicado por mpgpadre, às 10:41link do post | comentar |  O que é?

       “O próprio Senhor vos dará um sinal: a virgem conceberá e dará à luz um filho e o seu nome será Emanuel” (Is 7, 7-10).

       O nascimento de Jesus Cristo, para nós crentes cristãos, cumpre as promessas feitas por Deus ao povo da primeira Aliança, sobretudo através dos profetas de Israel.

       Como os Pastores de Belém, ouçamos o convite dos Anjos e cantemos “Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens por Ele amados”, para que o nosso canto de louvor nos ajude a acolher o mistério que nos vem do Céu. Deus em Jesus Cristo é Deus connosco, para que nesta proximidade física e espiritual nos tornemos verdadeiramente irmãos uns dos outros em Jesus Cristo, pelo perdão e caridade, pelo justiça e pela paz.

       A vivência do Natal não surge do nada!

       Com tanta distracção, tantos apelos, pode acontecer que celebremos o aniversário natalício de Jesus, sem que Ele esteja presente. Aniversário sem aniversariante. Daí que em Igreja venhamos a insistir com alguns gestos concretos para sublinhar a centralidade de Jesus, nas celebrações litúrgicas, em campanhas de solidariedade como, por exemplo, os Estandartes de Natal e 10 Milhões de Estrelas – um gesto pela paz, com sinais exteriores e com contributos para as pessoas mais carenciadas.

       Em Tabuaço temos o privilégio de em cada ano preparar o Natal com a novena e a solenidade em honra da nossa padroeira, a Imaculada Conceição. É um tempo de encontro, de aprofundamento da fé, de partilha do nosso ideário cristão, de convivência entre pessoas, de reflexão e de oração.

       Entre os dias 2 e 8 de Dezembro, a Visita Pastoral de D. Jacinto, com diversos encontros e celebrações, foi ocasião para nos deixarmos interpelar pela vivência alegre e comprometida com a Palavra de Deus.

       Com as entidades públicas, com diversos gestos de simpatia, palavras de incentivo, para que as funções se transformem em missão, numa atitude de serviço e de atenção às pessoas, em concreto.

       Em ambiente eclesial e litúrgico, a acentuação do trabalho realizado voluntária e gratuitamente, a humildade da conversão a Jesus Cristo, a generosidade no perdão, no diálogo e na tolerância, encarando “as dificuldades não com desalento mas com esperança”, para que a alegria da fé nos aproxime uns dos outros…


23
Dez 10
publicado por mpgpadre, às 10:16link do post | comentar |  O que é?

       O mês de Dezembro tem sido intenso, com diversos momentos importantes na vida da comunidade.

       O Boletim Voz Jovem deste mês é especial, com as rubricas habituais, mas com muitas fotografias sobre a Visita Pastoral do nosso Bispo, D. Jacinto Botelho, à comunidade paroquial. Diversos os momentos, as celebrações, os gestos, os encontros, diversas as imagens que documentam esta presença do Pastor da Diocese de Lamego. Dê uma espreitadela.

       O boletim VOZ JOVEM pode ser lido a partir daqui e/ou fazendo o download nos formatos respectivos:


10
Dez 10
publicado por mpgpadre, às 17:50link do post | comentar |  O que é?

       A Solenidade da Imaculada Conceição é, sem dúvida, a festa das festas na nossa paróquia de Tabuaço. Precedida de uma novena de prepação, que funciona como retiro aberto, prepara também a celebração do Natal. Em 2010, a novena e a festa da padroeira ficaram enriquecidas com a presença de D. Jacinto, Bispo de Lamego, entre os dias 2 e 8 de Dezembro, em Visita Pastoral.

       Veja em formato de diaporama/vídeo alguns dos momentos da Visita Pastoral, das diversas celebrações, da Solenidade da Imaculada Conceição e da Procissão, acompanhada com a belíssima música do grupo Laetare: 


08
Dez 10
publicado por mpgpadre, às 15:06link do post | comentar |  O que é?

       A Imaculada Conceição é um dos privilégios com que Deus adornou Nossa Senhora: “ter sido imune de toda a mancha de pecado original no primeiro instante da Sua Conceição, por uma singular graça e privilégio de Deus omnipotente, em atenção aos méritos de Jesus Cristo, Salvador do género humano”. Queremos todos, paroquianos desta comunidade que a tem como padroeira, de modo consciente e agradecido, ser a ressonância e o eco da saudação que o Arcanjo Gabriel trouxe do Céu à Virgem de Nazaré Ave Maria, cheia de Graça, o Senhor é convosco.

       É flagrante o contraste do comportamento das duas mulheres que a leitura do Génesis e do Evangelho, escolhidas pela liturgia para esta solenidade, tão expressivamente evidenciam. A disponibilidade da Virgem – eis a escrava do Senhor, faça-se em mim segundo a Tua palavra - redime a desobediência de Eva. Ela é a nova Eva que Deus pôs defronte ao novo Adão-Cristo, como nos ensinou João Paulo II. Como a nova Eva A cantaram os Padres da Igreja, cujos textos a Liturgia oferece à nossa meditação. Recordemos aquele belíssimo de São Ireneu: “Enquanto Eva seduzida pela mensagem de um anjo desobedeceu à Palavra divina e se afasta de Deus, Maria, ao contrário, guiada pela anunciação de outro anjo, obedeceu à palavra divina e mereceu trazer a Deus no Seu seio. Aquela, portanto, deixou-se seduzir para não obedecer a Deus, e esta deixou-se persuadir a obedecer-lhe. Deste modo a Virgem Maria tornou-se a advogada da Virgem Eva”.

       E que lucro auferiu o homem com a desobediência original? Diz-no-lo também a leitura do Génesis. Foi o fim da felicidade querida por Deus e desfrutada até então, e a consciência clarividente de todas as limitações. É a nudez absoluta, com todo o realismo da expressão, a evidência do desequilíbrio, mas pior, é o medo, a angústia, a desconfiança. Adão sente-se miserável, despido e inseguro, e o medo é o sentimento frustrante que o invade e confessa a Deus que o procura e interroga. Tive medo. É a condição duma humanidade decaída que se sente completamente perdida, baralhada, que se esconde incapaz de encontrar-se com Deus, mas igualmente incapaz de encontrar-se consigo e com os demais. E, para cúmulo, não assume responsabilidades. Foi a mulher, foi a serpente, e a culpa vai passando para outro que não eu. Não será este o panorama que experimentamos à nossa volta e a que nos habituamos já a relacionar irreflectidamente com a crise?

       E a resposta de Deus qual é? É o próprio Deus que vem ao encontro do homem, que o procura, impelido pelo Seu coração de Pai como nos recordava o Servo de Deus, João Paulo II. A Encarnação de Jesus, o Filho do Homem, testemunha que Deus procura o homem. É uma busca que nasce no íntimo de Deus e tem o seu ponto culminante na Encarnação do Verbo. Consequentemente a mensagem de Deus tão insistentemente repetida por Jesus é a recomendação que não tenhamos medo. Não tenhais medo. A mesma palavra pronunciada pelo Anjo da Anunciação é o prenúncio da complacente misericórdia do Pai em relação aos homens e a confirmação da plenitude dos tempos.

       A solenidade da Imaculada Conceição é a prova irrefutável da vitória da Graça sobre o pecado, é certeza de que Deus está do nosso lado, de que Deus amou de tal modo o mundo que lhe enviou o Seu próprio Filho para nos revelar o Seu mistério que é mistério de amor. “A Redenção permeia toda a história do homem” e concretiza o admirável desígnio de Deus explanado na por São Paulo na Carta aos Efésios. A Nossa Senhora podem aplicar-se com toda a propriedade essas palavras. Em Cristo, Ela foi escolhida antes da criação do mundo para ser santa e irrepreensível, em caridade na Sua presença, para ser um hino de louvor da Sua glória. Talvez aqui possamos fundamentar a confidência de João Paulo II, reportando-se ao momento da eleição para o Sumo Pontificado: “Enquanto entrava nos problemas da Igreja universal com a eleição para Papa, trazia comigo esta convicção: nesta dimensão universal a vitória será trazida sempre por Maria. Cristo vencerá por meio d’Ela, porque Ele quer que as vitórias da Igreja no mundo contemporâneo e no mundo futuro estejam unidas a Ela”. Esta presença maternal há-de contribuir para que na consciência de cada um, neste tempo de tanta insegurança e de tanto desânimo, se revigore a certeza de que existe alguém que tem nas mãos o destino do mundo que passa; alguém que tem as chaves da morte e dos abismos; alguém que é o Alfa e o Ómega da História, tanto colectiva como individual. E este alguém é Amor, entre os homens; Amor fonte inesgotável de comunhão. Só Ele é a plena garantia das palavras: não tenhais medo. As palavras não foram ditas para anular aquilo que é penosamente exigente, mas para confirmar toda a verdade do Evangelho e todas as exigências nele contidas, assegurando-nos o Senhor a Sua muito particular intervenção, quando a experiência das nossas limitações nos inibe, porque a Deus nada é impossível.

 + Jacinto Tomaz de Carvalho Botelho, Bispo de Lamego

Visita Pastoral à paróquia de Tabuaço


27
Nov 10
publicado por mpgpadre, às 10:34link do post | comentar |  O que é?

      1 – Aproxima-se a celebração festiva da Imaculada Conceição, Padroeira de Tabuaço, Madrinha dos Bombeiros Voluntários de Tabuaço, Padroeira e Rainha de Portugal.

       Como em muitas paróquias, a festa da Padroeira é a mais significativa e mobilizadora, pelo menos religiosamente. E tem que ser. Quando uma paróquia, uma comunidade, um movimento, escolhe um patrono, fá-lo por reconhecer nele um testemunho, um exemplo a seguir e, no campo religioso, Alguém que interceda junto de Deus.

       Quando o Rei português coroou Nossa Senhora da Conceição, em 1646, como Rainha de Portugal, fê-lo por acreditar que Nossa Senhora tinha protegido o país, fê-lo para que Ela fosse venerada, honrada, como Rainha, para que os portugueses a Ela pudessem recorrer e pudessem imitá-la na prossecução do bem.

       O centro da vida cristã é Jesus Cristo, no Seu mistério pascal, morte e ressurreição. Consequentemente a festividade mais importante dos cristãos e da Igreja é a Páscoa. À luz da ressurreição, os acontecimentos que dizem respeito a Jesus, nomeadamente a Encarnação/Nascimento. A envolvência de Nossa Senhora na Liturgia católica sempre teve grande relevância e maior acolhimento por parte dos fiéis.

       Como Mãe de Jesus e Mãe da Igreja sentimo-la mais perto de nós, das nossas preocupações e projectos. E, por outro lado, evocando o episódio das Bodas de Canaã, o Filho não recusa a intercessão da Mãe. Ela sabe que é Deus Quem tudo realiza e através de Quem tudo acontece. O próprio Jesus, na Cruz, no-la dá como Mãe, para que Ela permaneça sempre próxima de nós. E, por sua vez, Maria não cessa de dizer-nos: “Fazei tudo o que Ele vos disser”.

       A nossa comunidade vive intensamente os dias dedicados a Nossa Senhora da Conceição, tanto a novena como o dia da festa. Mais do que o tempo pascal ou o tempo de Natal. Porém, ao voltarmo-nos para Maria, voltamos também, com Ela, o nosso olhar e o nosso coração para o Seu Filho Jesus.

       2 – Tal como no ano de 2003, há 7 anos, também nesta ocasião, teremos connosco o Sr. Bispo, D. Jacinto Botelho, em Visita Pastoral.

       Como paróquia, pertencemos à Diocese de Lamego. À frente de cada Diocese, o Bispo; no nosso caso e desde o ano de 2000, é o Sr. D. Jacinto, natural de Vila da Rua, concelho de Moimenta da Beira.

       É a Visita do Pastor a uma das suas comunidades paroquiais. Ele é o responsável por toda a Diocese. É o Sr. Bispo que provem ao “pastoreio” das diversas comunidades. A sua vinda é uma oportunidade para sentir o pulsar da nossa vivência cristã, para connosco aprofundar a fé em Jesus Cristo, para balizar a nossa inserção na Igreja católica, para sublinhar o que de bom se faz, para colocar novos desafios, deixando sugestões/interpelações.

       Ao longo de 10 anos, D. Jacinto esteve entre nós, em momentos diferentes e com motivações diversas: 18 de Março de 2002, Comunhão Pascal da Escola, na Igreja Paroquial; 1 de Maio de 2002, celebração do Crisma, com 106 pessoas, no Pavilhão Municipal; em 2003, a Visita Pastoral, com a celebração do Crisma; 1 de Abril de 2004, Comunhão Pascal da Escola, na Igreja Paroquial; 17 de Março de 2005, Comunhão Pascal da Escola, na Igreja Paroquial; 1 de Julho de 2006, Celebração do Crisma; 10 de Maio de 2008, bênção e inauguração do Centro Paroquial, e, no mesmo ano, em 8 de Junho, celebração do Crisma; 20 de Junho de 2009, para participar na VI Assembleia Diocesana da Família e presidir à Eucaristia de encerramento, e 31 de Outubro de 2009, no espaço físico da paróquia, para a bênção das Piscinas Municipais e Biblioteca Municipal.

 

       3 – A Visita Pastoral do nosso Bispo, que nos confirma na Fé católica e apostólica, há-de mobilizar-nos para vivermos mais intensamente a novena e a festa de Nossa Senhora da Conceição, aprofundando as razões da nossa esperança, orientando-nos para a prática caritativa, na imitação da nossa Padroeira, nossa Mãe e Rainha.


25
Nov 10
publicado por mpgpadre, às 10:48link do post | comentar |  O que é?

       O Boletim Paroquial Voz Jovem, ao longo dos anos, tem sido um instrumento de informação mas também de formação, de evangelização. Os textos nele apresentados registam as datas significativas da vivência comunitária da fé, mas também a reflexão de temas da actualidade, de assuntos relacionados com a Bíblia, com a catequese...

       Neste mês de Novembro, atenção especial para a celebração da festa da Padroeira, Nossa Senhora da Conceição, com a novena e a solenidade, e, em simultâneo, a Visita Pastoral do nosso Bispo, D. Jacinto Botelho, entre os dias 2 e 8 de Dezembro.

Outros texos muito relevantes: reflexão bíblica, Apelo, actividades da comunidade, nomeadamente da Catequese e, pela segunda vez, um desenho para colorir...

 

       O boletim VOZ JOVEM pode ser lido a partir daqui e/ou fazendo o download nos formatos respectivos:


18
Nov 10
publicado por mpgpadre, às 14:18link do post | comentar |  O que é?

1 – Confirmados na fé de Cristo.

       No presente ano pastoral, seguiremos este lema: Confirmados na fé, para viver na caridade. Teremos a Visita Pastoral do nosso Bispo, D. Jacinto Botelho, às nossas comunidades paroquiais, neste nosso Arci-prestado de Tabuaço.

       O bispo, como sucessor dos Apóstolos, tem a missão de confirmar os fiéis da Diocese na fé católica e apostólica, na fé de Cristo, confirmar e fortalecer, ouvindo as preocupações, os anseios e os projectos de cada comunidade, as dificuldades e as potencialidades na vivência da fé que nos une em Igreja.

       A fé tem uma dimensão pessoalcada um a acolhe num contexto específico, com um projecto de vida particular, num tempo determi-nado e numa determinada altu-ra da sua vida.

       Mas não é a minha fé, é a fé da Igreja. As propostas e os desafios da Palavra de Deus chegam ao meu íntimo e eu percebo-os e assimilo-os ao meu jeito. Mas a fé tem também uma dimensão comunitárianão é a minha fé, é a fé de Cristo e, por conseguinte, há-de ser confrontada, vivi-da, amadurecida, celebrada em comunidade. Dito desta forma percebe-se como a fé tem que ser confirmada, na comunhão com os Sucessores dos Apóstolos.

       Além disso e como referido anteriormente, a Diocese de Lamego, tal como as demais dioceses por-tuguesas, vai procurar “Repensar a Pastoral da Igreja em Portugal".

       As paróquias são um espaço concreto para ouvir, para reflectir e para viver a Palavra de Deus, pessoal e comunitariamente.

       O Pastor da Diocese vem para confirmar, para abalizar das nossas vivências, para desafiar ao aprofun-damento da fé, lançando interpelações para o futuro.

2 – Para viver na caridade.

       Viver a fé de forma consciente há-de conduzir-nos à partilha e ao serviço. No amadurecimento da fé, a presença constante da caridade. O cristão vive em atitude permanente de caridade, em cada gesto, em cada palavra, em cada encontro, com cada pessoa. Assim o cristão, assim a comunidade.

       A atitude constante de Jesus, da oração para o serviço, faz-Se próximo dos mais distantes da sociedade e da religião, come com uns e com outros, chama discípulos de diferentes origens, faz-Se acompa-nhar de pessoas de carácter duvidoso, convive com estrangeiros e atende os seus pedidos, dá atenção a uma mulher pecadora e deixa que esta lhe perfume e beije os pés; defende uma mulher apanhada em adul-tério; chama Zaqueu, chefe de publicanos e chama o publicano Levi (Mateus), dialoga com a Samaritana…

       O ponto de partida é a fé – “Sabemos, porém, que o homem não é justificado pelas obras da Lei, mas unicamente pela fé em Jesus Cristo” (Gál 2, 16).

       A fé, como a oração, porém, não é abstracta, oca, desligada da vida, concretiza-se e tem expressão nas obras, no compromisso com o próximo. Diz-nos São João, “não amemos com palavras nem com a boca, mas com obras e com verdade” (1Jo 3, 18), “Quem diz que está na luz, mas tem ódio a seu irmão, ainda está nas trevas” (1 Jo 2, 9).

       São Tiago, por sua vez, e de forma clara: “de que aproveita, irmãos, que alguém diga que tem fé, se não tiver obras de fé? (...) Assim também a fé: se ela não tiver obras, está completamente morta” (Tg 2, 14-18).

       Viver na caridade e não apenas viver a caridade. Por outras palavras, como seguidores de Jesus Cristo deveremos viver em atitude permanente de serviço. A caridade não é um exercício pontual mas constante, identificativo do cristão e da comunidade crente. Não é apenas uma dimensão da vida da Igreja, é o rosto da própria Igreja e dos seus membros…

       Caridade que se acolhe de Jesus Cristo, carida-de dentro da Igreja, nos diversos ministérios (serviços), caridade na família, no meio envolvente. Somos, como cristãos, missionários da caridade, pelas palavras, certamente, mas sobretudo numa ati-tude permanente de serviço do nosso semelhante. 


07
Nov 10
publicado por mpgpadre, às 14:09link do post | comentar |  O que é?

       A Semana dos Seminários, proposta de oração e de partilha em todas as comunidades cristãs, propõe como tema para este ano: "SEMINÁRIO, Comunidade dos Discípulos de Cristo e Irmãos no Presbitério.

       O nosso Bispo, D. Jacinto Tomaz de Carvalho Botelho, e como em anos transactos, dirgiu a todos os sacerdotes uma carta de sensibilização. No final a invocação dos patronos dos dois seminários diocesanos:

       "Que, sob a protecção de Jesus, Maria e São José, padroeiros do Seminário Maior de Lamego, esta Semana seja oportunidade de crescimento na fé das nossas paróquias, e consequentemente elas se tornem alfobres de vocações sacerdotais. A Senhora de Lourdes, que nos habituamos a sentir e a amar como Mãe, desde o Seminário de Resende, faça com que a nossa resposta ao chamamento, seja rica de generosidade e contagie de entusiasmo o coração dos que o Senhor quer a trabalhar na sua vinha".

(Seminário Maior de Lamego)

(Catequese paroquial no Seminário de Resende)


11
Out 10
publicado por mpgpadre, às 16:18link do post | comentar |  O que é?

       A Diocese de Lamego, tal como as demais dioceses portugueses, vai procurar, ao longo deste ano pastoral, "Repensar juntos a Pastoral da Igreja em Portugal".

       As paróquias são um espaço concreto para ouvir, para reflectir e para viver na dinâmica da pastoral proposta pela Conferência Episcopal Portuguesa. Por um lado, todo o Plano Pastoral deve ater-se às preocupações fundamentais da Igreja Católica, da Igreja em Portugal, da sua Diocese e, por outro, assumir os aspectos específicos do seu meio, das suas vivências, das suas experiências mais importantes.

       Um dos aspectos importantes a ter em conta é a celebração do Sacramento da Confirmação (e da Visita Pastoral), com a presença do Sr. Bispo, D. Jacinto Tomaz Botelho.

        Um primeiro esboço da calendarização do ano pastoral levou-nos a concentrar-nos no lema: "Confirmados na fé, para viver na caridade". Viver a fé de forma mais conciente há-de conduzir-nos à partilha e ao serviço. Repensar a Pastoral, implica naturalmente auscultar as preocupações, os anseios, as necessidades das pessoas e do ambiente em que vivem, sem esquecer esta dimensão importantíssima da fé, da religiosidade que nos caracteriza. O Pastor da Diocese vem para confirmar, isto é, para abalizar das nossas vivência, para desafiar ao aprofundamento da fé, lançando desafios para o futuro.

       No amadurecimento da fé a presença constante da caridade. O cristão vive em atitude de caridade permanente, em cada gesto, em cada palavra, em cada encontro, com cada pessoa. Assim o cristão, assim a comunidade.

 

Para já o primeiro esboço, clique em PROGRAMAÇÃO PASTORAL.


01
Out 10
publicado por mpgpadre, às 10:14link do post | comentar |  O que é?

1 – Bento XVI no Reino Unido.

       Entre os dias 16 e 19 de Setembro, Sua Santidade o Papa Bento XVI fez mais uma das suas Viagens Apostólicas, desta feita ao Reino Unido, como Chefe de Estado do Vaticano e como Papa.

       A cobertura dos media deixava antever enormes dificuldades. A Viagem só poderia correr mal, com muita oposição e com manifestações anti-papais, num país de maioria protestante, onde impera a Igreja Anglicana, cujo chefe máximo é a Rainha Isabel II.

       Tal como em Portugal tinha acontecido, também no Reino Unido, os súbditos de Sua Majestade, se renderam à presença de Bento XVI, com o seu sorriso natural e com a firmeza das suas palavras, procurando pontes entre as duas igrejas cristãs.

 

2 – Beatificação do Cardeal Newman.

       Muitos foram os momentos vividos na Viagem Apostólica de Bento XVI: encontro com a Rainha, com as autoridades governamentais, com os luteranos, com as vítimas de pedofilia, encontro com os jovens e com as escolas católicas. Um dos pontos altos, contudo, foi a beatificação do Cardeal Newman, um anglicano que se converteu ao catolicismo.

       Ainda que num ambiente adverso, Bento XVI não deixou de afirmar os valores fundamentais da fé, não fazendo cedências de simpatia. O autêntico diálogo faz-se com dois lados que se mantêm fiéis às suas convicções profundas, procurando realçar o que une. A fé cristã é património comum.

 

3 – Bem-aventurado John Henry Newman.

       Nasceu em Londres a 21 de Fevereiro de 1801 e faleceu a 11 de Agosto de 1890, em Birmingham. Converteu-se do anglicanismo ao catolicismo aos 44 anos. Foi ordenado padre católico, em Roma, no ano de 1847, regressando a Inglaterra. Já era clérigo antes da sua conversão.

       Como teólogo reconhecido, Newman reflectiu sobre diversos temas, tais como a relação entre fé e razão, a natureza da consciência e o desenvolvimento da doutrina cristã.

       Em 1879, foi criado Cardeal por Leão XIII, tinha então 78 anos de idade.

 

4 – Repensar juntos a Igreja em Portugal.

       Depois da Viagem Apostólica de Bento XVI a Portugal, o Bispos portugueses acentuaram a necessidade de repensar a eficácia pastoral. Assim, entre outras iniciativas, encomendaram uma sondagem, a nível nacional, realizada pela Universidade Católica, para conhecer melhor a realidade portuguesa, as dificuldades e aspirações dos portugueses e o que esperam da Igreja. É louvável esta iniciativa, permitindo que mais pessoas dêem o seu contributo e que a resposta da Igreja e das comunidades vá de encontro à realidade...


5 – Balanço na Diocese de Lamego.

       D. Jacinto Tomaz Botelho assumiu os destinos da Diocese há 10 anos; tomou posse no dia 19 de Março de 2000, como Bispo Titular. Tendo completado 75 anos no dia 11 de Setembro, este será o último ano do seu pontificado. Por conseguinte, será um ano de balanço pelo caminho feito, lançando propostas para o futuro. A Diocese seguirá o Documento da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), “Repensar juntos a Igreja em Portugal”, procurando, durante o ano pastoral, apresentar-se numa atitude sinodal, perscrutando as comunidades.


6 – Plano Pastoral Paroquial.

       Como em anos anteriores, o Plano Pastoral Paroquial seguirá as preocupações do documento de trabalho da CEP, as orientações da Diocese de Lamego, e as especificidades da paróquia e do Arciprestado. A presença do Sr. Bispo, em Visita Pastoral, com a celebração do Crisma, será uma oportunidade de ouro de crescimento espiritual…

       Aguardamos sugestões que possam dar-nos para melhor servir e o envolvimento de todos.

 


mais sobre mim
Relógio
Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


Visitantes
comentários recentes
O mundo atual precisa do testemunho cristão. Livro...
Saudações fraternas. Claro que sim. Ao longo da Su...
Caríssimo, no texto que comento, anuncia a experiê...
Sofres do síndrome de última bolacha do pacote
Quero agradecer por essa linda história e texto po...
Gostei da trilogia.http://numadeletra.com/1q84-liv...
Olá!Caí neste comentário acerca deste último livro...
http://numadeletra.com/41791.html
também gostaria de o conhecer pessoalmente acho in...
Bom dia. Alguns elementos para o ofertório estão v...
Bom dia. Sou catequista na minha paróquia e estamo...
Mais uma vez, muitos parabéns por nos dar este bel...
Eu já sabia que não devemos menosprezar nunca o po...
Bom dia. Eu é que agradeço, pela presença, pelo in...
Bom dia Padre Manuel! É sempre com muito agrado qu...
arquivos
Pinheiros - Semana Santa
- 29 março / 1 de abril de 2013 -
Tabuaço - Semana Santa
- 24 a 31 de abril de 2013 -
Estrada de Jericó
pesquisar neste blog
 
Velho - Mafalda Veiga
Festa de Santa Eufémia
Pinheiros, 16/17 de setembro de 2012
Primeira Comunhão 2013
Tabuaço, 2 de junho
Papa Bento XVI
Profissão de Fé 2013
Tabuaço, 19 de maio
blogs SAPO