...espaço de discussão, de formação, de cultura, de curiosidades, de interacção. Poderemos estar mais próximos. Deus seja a nossa Esperança e a nossa Alegria...
13
Ago 14
publicado por mpgpadre, às 19:36link do post | comentar |  O que é?

CHIMANDA NGOZI ADICHE (2013). Americanah. Alfragide: D. Quixote. 720 páginas.

 

        O livro mistura-se com a história da autora, Chimanda Ngozi Adiche, natural da Nigéria e que emigra para os EUA para frequentar a Universidade e que resulta de uma Bolsa de Estudos. Universitária na Nigéria, valoriza-se na América. Da cor do chocolate como ela própria refere, nos EUA, e entramos já no livro, depara-se com o racismo. Na Nigéria não é necessário falar de racismo, não se coloca a discussão da raça, pois são todos da mesma cor. O desejo de emigrar para Inglaterra e para os Estados Unidos caracteriza a geração da protagonista, que segue no seguimento de outros nigerianos. O seu apaixonado, Obinze, não emigrará devido ao 11 de setembro de 2001 e aos entraves colocados a estrangeiros e sobretudo estrangeiros de cor.

       Nos EUA, a protagonista, Ifemelu, deparar-se-á pela primeira vez com a discussão da raça, no acesso a serviços, em muitos ambientes culturais e sociais. E o facto de haver obrigatoriedade de uma cota para alguns empregos serem atribuídos a pessoas de cor negra, da cor do chocolate ou ainda mais escuros, isso revela um outro aspeto de racismo, sendo que sobre eles haverá sempre a dúvida se "subiram" por ser negros ou por serem talentosos. Há um crime, foi um preto, então todos os pretos são suspeitos.

       No ambiente do romance encontra-se o processo da primeira eleição de Obama para Presidente dos EUA, o que motiva os negros de diversas nacionalidades, emigrados na Américo, ou descendentes de africanos a congregarem esforços pela sua eleição. Pela primeira vez na história dos EUA um presidente negro. A protagonista até se inclina mais para Hilary Clinton, por ser mulher e por se sentir mais perto das suas ideias. Mas pouco a pouco vai ser acérrima defensora da eleição de Obama. A dúvida continua nos dois candidatos: um terá o apoio mais expressivo dos negros; a outra, terá o apoio mais expressivo por ser mulher e poder tornar-se a primeira mulher a ser Presidente dos EUA. Ou seja, não está tanto em causa as ideias, ou a pessoa, mas a motivação racial ou de género. Essa é apenas uma questão.

       Todo o livro se assume à volta da questão racial, mas também da procura de melhores condições de vida. Alguns regressam a casa, como Ifemelu, a uma Nigéria marcada pela corrupção, onde as oportunidades resultam de conhecimentos e favores. Não é um exclusivo da Nigéria. Outros já não regressam. Quando regressa continua a ser olhada como americanah, com os seus tiques, mas também dela espera que dê, distriua beneces.

        É um livro, diria, imenso, mas de agradável leitura. Para lá do romance em si, bem contruído, com um fio condutor que interliga personagens mas também a discussão à volta da raça. Efemelu ganha prestígio precisamente através de um blogue que explora a questão racial de uma forma aberta, sem dogmativos. O blogue permite-lhe também apresentar "receitas" para os negros. Por curiosidade que revela a autora: a maioria das revistas tem mulheres brancas, faz sugestão de cremes, de champôs, de tratamentos para a pele, para mulheres brancas. E há mulheres de cor que querem parecer-se com as mulheres brancas, esticando o cabelo. Numa entrevista para emprego segue a sugestão para se vestirem como se fossem brancas e pentearem como mulheres brancas. Por outro lado, é difícil encontrar cabeleireiras aptas para tratar do cabelo às mulheres de origem africana.

       Outro dado curioso, presente também no livro. Um negro é sempre um africano, independentemente de ser da Nigéria ou da África do Sul, o que demonstram uma enorme ignorância como se um nigeriano conhecesse todos os costumes e tradições de todo o continente africano...

       Para conhecer um pouco melhor a autora vale a pena parar uns minutos e escutar a apresentação que se segue, através da qual descobri a autora e que motivou a aquisição e leitura desta belíssima obra. Sobre os perigos da história única:


mais sobre mim
Relógio
Agosto 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

11
12
15

20

25
26
27
28
29

31


Visitantes
comentários recentes
O mundo atual precisa do testemunho cristão. Livro...
Saudações fraternas. Claro que sim. Ao longo da Su...
Caríssimo, no texto que comento, anuncia a experiê...
Sofres do síndrome de última bolacha do pacote
Quero agradecer por essa linda história e texto po...
Gostei da trilogia.http://numadeletra.com/1q84-liv...
Olá!Caí neste comentário acerca deste último livro...
http://numadeletra.com/41791.html
também gostaria de o conhecer pessoalmente acho in...
Bom dia. Alguns elementos para o ofertório estão v...
Bom dia. Sou catequista na minha paróquia e estamo...
Mais uma vez, muitos parabéns por nos dar este bel...
Eu já sabia que não devemos menosprezar nunca o po...
Bom dia. Eu é que agradeço, pela presença, pelo in...
Bom dia Padre Manuel! É sempre com muito agrado qu...
arquivos
Pinheiros - Semana Santa
- 29 março / 1 de abril de 2013 -
Tabuaço - Semana Santa
- 24 a 31 de abril de 2013 -
Estrada de Jericó
pesquisar neste blog
 
Velho - Mafalda Veiga
Festa de Santa Eufémia
Pinheiros, 16/17 de setembro de 2012
Primeira Comunhão 2013
Tabuaço, 2 de junho
Papa Bento XVI
Profissão de Fé 2013
Tabuaço, 19 de maio
blogs SAPO