...espaço de discussão, de formação, de cultura, de curiosidades, de interacção. Poderemos estar mais próximos. Deus seja a nossa Esperança e a nossa Alegria...
03
Fev 13
publicado por mpgpadre, às 09:18link do post | comentar |  O que é?

       1 – Depois de falar na sinagoga, Jesus vê os Seus ouvintes dividirem-se, surpreendidos, conhecendo-O, estranham tamanha sabedoria: «Não é este o filho de José?».

       Primeira observação: quantas vezes não somos surpreendidos por aqueles que conhecemos há muito tempo? Já não esperávamos nada de novo (positivo ou negativo), e de repente tudo se altera.

       A reação de Jesus: «Por certo Me citareis o ditado: ‘Médico, cura-te a ti mesmo’. Faz também aqui na tua terra o que ouvimos dizer que fizeste em Cafarnaum». E acrescentou: «Em verdade vos digo: Nenhum profeta é bem recebido na sua terra», clarifica a má vontade de alguns conterrâneos, por que não querem reconhecer-Lhe a sabedoria, ou porque se sentem ameaçados.

       Em todo o caso, Jesus não deixa de avançar com a Sua Missão e de enfrentar aqueles que se Lhe opõem. “Ao ouvirem estas palavras, todos ficaram furiosos na sinagoga. Levantaram-se, expulsaram Jesus da cidade e levaram-n’O até ao cimo da colina sobre a qual a cidade estava edificada, a fim de O precipitarem dali abaixo. Mas Jesus, passando pelo meio deles, seguiu o seu caminho”.

       2 – Como já vimos em Domingos precedentes, Jesus entranha-Se na vida humana, ao lado, dentro. Tem pais, tem casa, cresceu em Nazaré. Há pessoas que O conhecem desde menino.

       Tudo começa em casa. Não se pode transformar o mundo, se antes não se arruma e areja a casa, o coração. Como querer iluminar os outros se estamos às escuras, perdidos, distantes, alheados? Ainda que os santos de casa não façam milagres, é em casa que se começa a construir a vida, e a felicidade, e a solidariedade, e a tolerância, e tudo o que poderá transformar o mundo. Primeiro a família, a sinagoga, Nazaré, alargando a família a todos os que fizerem a vontade de Deus, pelo mundo inteiro.

 

       3 – “Jesus, passando pelo meio deles, seguiu o seu caminho”. É um dos aspetos bem vincados e significativos no texto do evangelho. Jesus segue convictamente. O Seu alimento, a Sua vontade, a Sua vida por inteiro, é fazer a vontade d'Aquele que O enviou, fazer a vontade do Pai. É também essa a condição, para cada um de nós, a condição para sermos Sua família. Não há outras exigências.

       No ANO da FÉ que temos a graça de viver, importa reorientar a nossa vida para a vocação primeira e incontornável da fé cristã: a vocação à santidade. Na linguagem de Jesus corresponde a esta identificação à vontade do Pai.

       É um chamamento que nos precede. É Deus que toma a iniciativa. Mesmo no seio materno, já Deus conta connosco. Mesmo que só vivamos um dia, seremos filhos, herdeiros, a caminho da santidade, a peregrinar para Deus.

       Adoçam-se os nossos lábios com as palavras do profeta Jeremias, acolhendo uma Palavra anterior, primeira, a Palavra de Deus: «Antes de te formar no ventre materno, Eu te escolhi; antes que saísses do seio de tua mãe, Eu te consagrei e te constituí profeta entre as nações. Não temas. Eles combaterão contra ti, mas não poderão vencer-te, porque Eu estou contigo para te salvar».

       Jeremias há de passar pelo meio, sem vacilar, pois cumpre o mandato de Deus, a sua vocação. Profeta para o Povo todo.

 

       4 – Somos como que um CÓDIGO DE BARRAS, trazemos em nós a origem e a vida nova. Vimos de Deus, redimidos por Jesus, consagrados na verdade pelo Espírito Santo. Não há preço. Cristo “paga” com a Sua vida, para que vivamos na abundância da Sua presença.

       A nossa missão é transparecer o amor de Deus em nós, possibilitando que outros possam ler as marcas de Deus, a nossa identidade, nas palavras e nos gestos, no silêncio e nas obras. Jesus é o ROSTO de Deus. Havemos de ser, como Seus discípulos, o Seu ROSTO e a Sua PRESENÇA. Se Ele é AMOR, nós havemos de nos tornar AMOR com Ele. Se é PERDÃO, o caminho que nos redime é perdoar.


Textos para a Eucaristia (ano C): Jer 1, 4-5.17-19; 1 Cor 12, 31 – 13, 13; Lc 4, 21-30.

 


mais sobre mim
Relógio
Fevereiro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

12
14
15
16

19
21
22

25
28


Visitantes
comentários recentes
O mundo atual precisa do testemunho cristão. Livro...
Saudações fraternas. Claro que sim. Ao longo da Su...
Caríssimo, no texto que comento, anuncia a experiê...
Sofres do síndrome de última bolacha do pacote
Quero agradecer por essa linda história e texto po...
Gostei da trilogia.http://numadeletra.com/1q84-liv...
Olá!Caí neste comentário acerca deste último livro...
http://numadeletra.com/41791.html
também gostaria de o conhecer pessoalmente acho in...
Bom dia. Alguns elementos para o ofertório estão v...
Bom dia. Sou catequista na minha paróquia e estamo...
Mais uma vez, muitos parabéns por nos dar este bel...
Eu já sabia que não devemos menosprezar nunca o po...
Bom dia. Eu é que agradeço, pela presença, pelo in...
Bom dia Padre Manuel! É sempre com muito agrado qu...
arquivos
Pinheiros - Semana Santa
- 29 março / 1 de abril de 2013 -
Tabuaço - Semana Santa
- 24 a 31 de abril de 2013 -
Estrada de Jericó
pesquisar neste blog
 
Velho - Mafalda Veiga
Festa de Santa Eufémia
Pinheiros, 16/17 de setembro de 2012
Primeira Comunhão 2013
Tabuaço, 2 de junho
Papa Bento XVI
Profissão de Fé 2013
Tabuaço, 19 de maio
blogs SAPO